Já falamos algumas vezes aqui no blog sobre o tema segurança da informação. A importância de se zelar pelos dados da empresa, como esse cuidado é essencial para qualquer tipo de negócio e algumas das ferramentas que você pode utilizar para manter sua empresa isenta de riscos.

Neste post, fomos mais a fundo na segurança da informação para que você saiba como proteger dados sigilosos da sua empresa, como protótipos, sistemas que estão sendo desenvolvidos, fórmulas e outras inovações. Esperamos que você goste deste conteúdo e, caso tenha alguma dúvida, deixe um comentário ao final!

A propriedade intelectual da empresa e os dados sigilosos

A propriedade intelectual de uma empresa é o conjunto de conhecimentos, práticas, processos, técnicas, dados, tecnologias e informações (entre outras coisas) que lhe conferem diferencial competitivo no mercado e que, de alguma forma, têm valor econômico por sua confidencialidade.

Pense no Google: por que ele não divulga os critérios utilizados para a classificação dos sites em seu buscador? Porque é isso que dá à empresa o seu diferencial de mercado, que gera receita. O que torna a Coca-Cola um produto único no mercado? Sua fórmula exclusiva.

São esses itens que garantem competitividade a um negócio, portanto, merecem toda atenção quando se trata de manter sigilo absoluto sobre as informações envolvidas. Na sequência, separamos algumas dicas de como preservar os dados da sua empresa e manter a informação em segurança.

Política de Segurança da Informação

Como toda melhor prática começa com a gestão da organização, crie uma Política de Segurança da Informação (PSI). Este documento deve conter todas as diretrizes a serem seguidas por todos os profissionais envolvidos com a sua empresa, desde funcionários até fornecedores, sócios e acionistas.

A PSI também contempla tecnologias que devem ser adotadas, processos a serem conduzidos, sanções aplicadas a quem desobedecer às diretrizes, quais dados são sigilosos e devem ser mantidos sob total segurança.

Identifique melhores práticas a serem tomadas em cada setor, quem são as pessoas responsáveis, os níveis de acesso de cada usuário de sistemas dentro da empresa e outras informações que julgue necessárias para orientar seu time a agir corretamente no tratamento das informações.

Implemente as tecnologias necessárias

Atualmente, não existe empresa que trabalhe 100% no manual. Mesmo as mais recentes utilizam algum tipo de tecnologia para coletar, armazenar, processar e analisar informações. E, para manter o sigilo destes dados, você precisa de tecnologias auxiliares que promovam a segurança da informação, como:

  • conexões seguras;
  • criptografia de dados;
  • armazenamento na nuvem;
  • assinatura eletrônica;
  • antivírus;
  • antispywares;
  • entre outras.

Cada empresa deve analisar o nível de segurança necessário e as tecnologias mais adequadas. Essas que listamos são bastante acessíveis e conferem uma excelente proteção aos dados do seu negócio.

Firme um contrato de confidencialidade

O contrato de confidencialidade é uma das medidas que não podem faltar na sua empresa. Cada pessoa que se relaciona direta ou indiretamente com dados sigilosos deve assinar um documento destes comprometendo-se a manter a confidencialidade dos dados trocados com a sua organização.

Empresas de tecnologia já possuem bastante familiaridade com contratos de confidencialidade, já que desenvolvem inovações que estão na dianteira do mercado. Já pensou se o protótipo do novo iPhone vaza e os concorrentes lançam produtos semelhantes antes da Apple? Seria um desastre comercial, não é?

O contrato de confidencialidade não pode impedir que alguém roube as informações da sua empresa e transmita a terceiros, no entanto, é a garantia de que você poderá ser indenizado por isso. Portanto, trata-se de um documento com validade jurídica, que deve ser assinado e guardado com todo o rigor.

Gerencie os riscos

A perda de dados sigilosos pode se dar de muitas maneiras: um vírus que rouba a informação de um computador, um hacker que invade o sistema da empresa, uma inundação que coloca a perder seu servidor e um pen drive perdido são só alguns exemplos de situações que podem ocorrer.

Antes que elas aconteçam, o ideal é que você mapeie todos esses riscos, por mais absurdos que possam ser, e crie um plano de ação para reduzir ao máximo as possibilidades de que eles venham a se tornar realidade.

Por exemplo: em vez de manter seus funcionários levando informações sigilosas em pen drives, opte pelo armazenamento na nuvem. Essa solução traz mobilidade sem afetar a segurança da informação.

Outra ideia: evite enviar contratos impressos para assinatura, o que abre brechas para fraudes e vazamento de informações. Prefira a assinatura eletrônica e tramite seus documentos completamente pela via digital. Quanto menos pessoas tiverem contato com os dados da empresa, menor a chance de ver seu segredo comercial divulgado por aí.

Treine sua equipe

Quando as políticas de segurança da informação são impostas pela diretoria sem a devida explicação, a reação natural das pessoas é rechaçar as orientações. Isso porque elas não sabem quais motivos levaram à implementação de tais práticas.

O que você deve fazer é conscientizar seu time, seus fornecedores, diretores e demais parceiros de negócios a respeito da importância de se manter esses dados sob proteção. Já pensou se o protótipo do carro de corrida da McLaren cai em mãos erradas? É todo um investimento que se perde, uma tecnologia empregada que passa a ser de domínio público e que prejudica a performance da empresa por um longo tempo.

Além de reforçar a comunicação, certifique-se de que todos sabem operar os sistemas que a empresa utiliza com a aplicação de login e senha de acesso. E por falar nisso…

Estabeleça níveis de acesso à informação

Essa é uma das melhores atitudes que sua empresa pode tomar em questão de segurança da informação: deixar as informações estratégicas no âmbito estratégico, sem socializar os dados com quem não participa do processo.

Se sua equipe de desenvolvimento está trabalhando em um sistema que vai revolucionar o atendimento bancário, por exemplo, limite o acesso de pessoas não autorizadas ao setor. Mantenha os computadores conectados ao servidor da empresa, mas separados dos demais usuários, para evitar invasões. Servidores virtuais são ótimos para isso.

Crie protocolos de segurança, instale biometria para controle de acesso a computadores e mantenha monitoramento constante em locais onde soluções são desenvolvidas. A tecnologia está a seu favor, use-a!

Gostou dessas dicas e quer saber mais? Baixe agora mesmo o nosso Guia Completo sobre segurança da informação!

(Visited 533 times, 1 visits today)