Cibersegurança: por que se preocupar com os dados de sua empresa?

ciberseguranca Em tempos de transformação digital e avanços tecnológicos acelerados, os riscos à infraestrutura de TI também aumentaram. Se temos à disposição softwares, aplicações em nuvem, soluções de assinatura eletrônica e outras ferramentas fundamentais para a operação da empresa, a cibersegurança se torna indispensável.

Mas, afinal, o que significa exatamente esse conceito? Devemos realmente nos preocupar com isso? A quais ameaças os meus dados estão expostos? O que fazer para evitar problemas?

Criamos este conteúdo especial para explicar o que é a cibersegurança e por que ela é tão importante para qualquer empresa. Confira!

Entenda o que é a cibersegurança

O conceito de cibersegurança se refere a um conjunto de práticas adotadas pelo setor de TI com o objetivo de proteger os dados da empresa contra vazamentos, roubos e danos em geral. A preocupação de organizações públicas e privadas com essa questão não é uma novidade. Há décadas existe uma demanda por proteção de patentes, contratos sigilosos, dados de clientes e informações em geral.

A particularidade atual é que a transformação digital expandiu a capacidade de ação das empresas no ambiente virtual, mas também a dos cibercriminosos. Imagine que você vai fazer uma renovação contratual e se depara com um vazamento de dados sigilosos, tanto da sua empresa, quanto do parceiro comercial.

Os problemas podem ser muitos. Financeiramente, o prejuízo é grande. A confiança na sua empresa, por sua vez, é duramente comprometida. Os impactos podem ser até mesmo jurídicos, já que toda organização tem a responsabilidade de proteger dados de clientes e parceiros comerciais quando faz a coleta e o armazenamento.

Nesse sentido, a cibersegurança é uma atividade fundamental para qualquer companhia que almeja trabalhar com informações digitalizadas. Quanto maior a presença virtual do negócio, maiores os riscos, por consequência, tornam-se mais necessárias medidas de segurança eficientes.

Vale destacar, por exemplo, a criação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), cujo objetivo é trazer ao Brasil uma regulamentação de segurança da informação similar à adotada em outros países. Tanto é que a LGPD foi inspirada no Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), a lei europeia criada em 2018.

Conheça as melhores práticas de segurança da informação

Se quer entender a dimensão dos riscos de não investir em cibersegurança, basta olhar para o passado recente do mercado mundial. Em 2017, um ataque orquestrado inseriu um ransomware conhecido como WannaCry em diversas empresas, sequestrando seus dados e comprometendo seriamente a operação dessas organizações.

Grosso modo, o que esse malware faz é criptografar todos os dados do ambiente infectado e bloquear o acesso com uma senha. Para liberar a chave de segurança, os hackers cobravam uma quantia equivalente a 200 dólares, que deveria ser paga em bitcoins para não ser rastreada. O agravante era que o WannaCry usava uma falha do Windows para infectar todos os dispositivos conectados à rede.

O resultado? Um prejuízo global estimado em mais de 5 bilhões de dólares. Um detalhe importante é que a Microsoft já havia corrigido a falha, mas as empresas atingidas ainda não haviam atualizado a versão do Windows que implementava a correção. O que isso significa? Que uma política básica de cibersegurança teria poupado inúmeras organizações de danos irreparáveis e até mesmo falência.

Vejamos, então, algumas dicas essenciais para se proteger.

Soluções de criptografia

Um sistema de criptografia de dados, como um VPN, é extremamente eficiente na proteção de dados sigilosos. Além de garantir a segurança de canais de comunicação, impedindo agentes não autorizados de interceptar os dados enviados e recebidos, a ferramenta ajuda a controlar quem exatamente tem acesso a visualizar documentos digitais da empresa.

Assinatura eletrônica ou assinatura digital usando Certificado ICP-Brasil

A solução permite evitar a necessidade de impressão excessiva de documentos, assim também impossibilita o extravio de informações. Para complementar, a assinatura eletrônica consegue legitimar documentos, de forma a otimizar a tramitação virtual com menor risco de falsificação. Se for preciso é possível assinar um documento eletronicamente usando um certificado ICP-Brasil, o que acrescenta mais uma camada de segurança em todo o processo.

Política e infraestrutura de cibersegurança

Uma política de segurança da informação auxilia na definição de regras que colaboradores — assim como terceiros — devem seguir para não colocar em risco os dados da organização. Somado a isso, é importante contar com uma infraestrutura de proteção: antivírus, antispam, antiphishing, firewall etc. Lembre que as versões precisam ser profissionais e pagas, já que só essa modalidade pode dar conta das demandas corporativas.

Para ser mais eficiente, vale a pena procurar o apoio de quem é especialista no assunto.

Entenda como bons parceiros ajudam a garantir sua segurança

Adotar ferramentas de segurança dos dados é algo fundamental, mas pode ser um desafio quando a implementação e a gestão são feitas por conta própria. Por isso, uma alternativa cada vez mais interessante para empresas de todos os tamanhos tem sido contar com parceiros especializados, que fornecem soluções eficientes e um suporte de qualidade.

Um bom exemplo disso é a mudança que vem ocorrendo na tramitação de documentos. O futuro dos contratos é, sem dúvidas, um manuseio 100% digital e protegido com soluções de assinatura eletrônica, como a plataforma da DocuSign, que faz parte da suite de soluções que a empresa oferece ao mercado chamada Agreement Cloud.

A Agreement Cloud, por exemplo, possibilita que sua empresa automatize todo o ciclo de vida dos seus contratos, digitalizando o processo de criação, tramitação e garantindo a segurança das assinaturas. A gestão desses documentos deixa de ficar exposta a riscos desnecessários, conforme a plataforma centraliza os processos em um ambiente mais controlado e totalmente seguro.

Transações de qualquer natureza podem ser realizadas com mais tranquilidade, sem colocar em risco as suas informações e a dos seus clientes e parceiros comerciais. Não é à toa que, hoje, a DocuSign tem mais de 500.000 clientes e centenas de milhares de usuários em mais de 180 países.

Lembre que isso representa um diferencial competitivo, já que cada vez mais organizações buscam parceiros comerciais que demonstrem preocupação com a proteção dos seus dados. Então, faça alguns testes para encontrar boas soluções para sua empresa.

Como você pôde ver, a cibersegurança é uma questão de interesse coletivo. Empresas e órgãos públicos já abriram os olhos para essa realidade e estão tomando medidas para garantir a proteção dos seus dados. Com soluções de qualidade trabalhando a seu favor, é possível minimizar os riscos e otimizar ainda mais os processos da sua empresa!

Quer um alto nível de cibersegurança na sua empresa? Então, faça um teste gratuito do DocuSign ou entre em contato conosco e fale com quem é especialista em assinatura eletrônica!

Publicados