Nos últimos anos, aproveitar os benefícios da tecnologia para a área de saúde tem sido essencial à evolução dos procedimentos médicos e à prevenção da saúde. Nesse sentido, a utilização do CRM Digital chegou como um recurso que favorece bastante a dinâmica do trabalho na rotina do médico.

Esse documento é um smartcart — ou cartão com chip — que atende de forma adequada os critérios exigidos pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).

Mediante a importância de acompanhar as tendências tecnológicas, o médico deve conhecer todas as informações sobre o CRM Digital. Veja, então, o que é esse documento, como obtê-lo e por que esse recurso simboliza um diferencial positivo para a prática médica mais segura. Acompanhe!

Qual a importância do CRM para a classe médica?

A Cédula de Identidade Médica (CRM) é um documento importantíssimo, obrigatório para o exercício legal da profissão e que a comprova junto aos Órgãos fiscalizadores dos serviços médicos no país.

A cada ano, os médicos precisam atualizar o cadastro profissional junto à entidade estadual do Conselho regional ao qual seu CRM está inscrito. Entre outros objetivos, essa medida visa proteger o profissional do uso de fraudes em seu nome ou do uso indevido de seu documento de identidade médica.

Para o paciente, há maior segurança quando há a assinatura do médico e o número do CRM dele em prescrições de receituários, para liberação de guias de exame ou para a emissão de atestado médico, por exemplo.

O uso desse documento assegura maior confiabilidade ao trabalho desse profissional. Isso porque é expressamente proibido por Lei o exercício da medicina sem o devido registro nos Órgãos de classe.

Como a Era Digital impacta os serviços médicos?

A exemplo do que se observa em todos os segmentos profissionais em caráter global, a revolução tecnológica está impactando a profissão médica em diversos sentidos. Percebe-se claramente que esse avanço não se limita apenas aos equipamentos cada vez mais sofisticados e modernos.

Essa transformação está remodelando as formas de atendimento e o direcionamento das condutas médicas também. Em síntese, além das alterações na rotina médica, a Era Digital impacta visivelmente as relações que envolvem os processos administrativos e a interação entre hospitais, empresas parceiras e pacientes.

A reestruturação do trabalho médico na era contemporânea resulta de inovações tecnológicas que surgem a cada dia para facilitar a rotina na área de saúde. Além do Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), a Assinatura Digital, a Certificação Digital e a adoção do CRM Digital figuram na lista dos mais importantes.

Esses avanços contínuos nos últimos anos flexibilizam o cotidiano de quem atua nesse ramo, o que é fundamental para o alcance de melhores resultados. Além dos aspectos que envolvem o atendimento, a comunicação e os setores administrativos, os recursos tecnológicos viabilizam também um maior controle de doenças e a evolução da saúde.

Logo, a adesão às ferramentas da tecnologia preconizadas na Era Digital proporciona um ganho significativo tanto para os médicos como para os pacientes.

Tais aspectos favorecem a economia de tempo e de recursos financeiros, haja vista a rapidez na tramitação de documentos processados na modalidade digital.

Por que a tecnologia é o elemento-chave para a prevenção da saúde?

O rápido crescimento da tecnologia aplicada ao setor de saúde trouxe muitos benefícios para todos os profissionais que atuam nessa área.

Essas vantagens não se limitam apenas aos insumos médicos, equipamentos, aparelhos eletrônicos ou softwares, mas também englobam diferentes recursos que objetivam aumentar o bem-estar e a saúde da população.

No setor de exames para finalidade diagnóstica, os recursos tecnocientíficos empregados juntamente com a medicina têm sido ampliados a cada dia. Se comparados há algumas décadas — quando os médicos precisavam utilizar recursos obsoletos — isso significa um ganho substancial.

Hoje, a gama de ferramentas disponíveis favorece maior dinamismo ao cotidiano do médico. Além do mais, contribui consideravelmente para medidas mais eficazes de prevenção da saúde.

Tais recursos não só facilitam os procedimentos médicos como também possibilitam a rápida recuperação do paciente. Na prática médica, isso é essencial para reduzir os riscos de agravamento da saúde e agilizar os resultados.

Nesse sentido, o uso da  tecnologia aplicada à medicina está revolucionado o modelo de conduta médica, de identificação diagnóstica e acelerando o processo de tratamento das doenças.

Com isso, é possível proporcionar mais qualidade vida aos pacientes, além de facilitar a dinâmica do trabalho dos profissionais na área de saúde. No entanto, ainda que a tecnologia tenha poder de transformação, faz-se necessário melhorar o acesso aos serviços básicos de saúde, o principal desafio dos gestores desse ramo.

Como a transformação digital influencia a saúde e a longevidade da população?

Nos anos 1960, a expectativa de vida do povo brasileiro era em torno de 48 anos. Atualmente, a longevidade de vida tem aumentado consideravelmente, o que eleva as estatísticas para a faixa dos 76 anos, conforme os dados recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Porém, a essa realidade associa-se uma situação paradoxal e que tem se tornado um dos maiores desafios para a Saúde Pública. Pois, ao passo que a longevidade da população representa evolução social e econômica, ela também exige maiores investimentos na área de saúde.

Isso porque esse crescimento na expectativa de vida sinaliza a necessidade de melhorar a assistência durante o envelhecimento. Assim, um dos maiores desafios da medicina é assegurar, não somente que a população alcance a longevidade, mas que ela tenha condições de viver mais e melhor.

Nesse contexto, a classe médica precisa olhar para a tecnologia, como uma das áreas que possibilitam encontrar um ajuste e um efetivo apoio para suprir essa demanda. Assim como a evolução da medicina diagnóstica, as ferramentas que favorecem o trabalho do médico também merecem atenção.

Investir em ferramentas — como o CRM Digital — que proporcionam melhoria no cotidiano dos serviços médicos, flexibilizam o atendimento e otimizam o tempo das consultas é fundamental nesse processo. Isso porque tais ações possibilitam melhorar a demanda no atendimento e aumentar a assistência à saúde populacional.

O que é um CRM Digital?

O CRM Digital é a versão tecnológica da identidade do médico. Essa nova cédula de identificação da classe médica é confeccionada no formato de um cartão rígido, e com um chip que assegura uma função antifraude bem avançada.

Além disso, o CRM Digital vem com um chip criptografado para inserção da funcionalidade de certificação digital. Essa tecnologia aplicada a esse novo modelo de CRM objetiva modernizar e facilitar o trabalho dos médicos, além de torná-los mais adequados à atualidade.

Em termos legais, o CRM Digital já está amplamente instituído como documento oficial pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Por meio da Resolução CFM 1983/2011, o uso da modalidade digital de identificação médica foi autorizado legalmente e publicado no Diário Oficial da União.

Vale ressaltar que o uso do CRM Digital não é obrigatório. Contudo, os benefícios oferecidos por essa nova modalidade de registro médico têm influenciado a substituição do CRM de papel pela modelo digital.

Como obter um CRM Digital?

Para obter o CRM Digital, o profissional da área de medicina precisa, primeiramente, está inscrito no Conselho médico. Depois de efetivar a inscrição, basta solicitar o documento junto ao seu Conselho Regional de Medicina.

Dependendo da localidade, pode haver alguma divergência na documentação exigida e nos procedimentos necessários para requerer o CRM Digital. Contudo, mediante a popularização do uso desse recurso, os trâmites estão cada vez mais simples e facilitados.

Vale ressaltar que o registro médico em papel vai aos poucos ser substituído pelo modelo digital. No entanto, esse tipo de CRM ainda continuará válido por período indeterminado para todos os médicos, até que sejam substituídos pela modalidade de CRM Digital.

O que torna o CRM Digital mais seguro?

Utilizar as ferramentas tecnológicas propicia benefícios a todas as classes profissionais em diversos sentidos. Atualmente, o uso de documentos em papel está caindo em desuso.

Para o médico, utilizar um CRM digital diminui os riscos de incidentes, como falta de tinta em carimbo ou até mesmo o esquecimento ou a perda desse objeto.

Além do mais, com a versão digital do CRM, os médicos poderão autenticar a própria identidade, e de forma mais rápida e segura. Isso facilita a rotina médica tanto nos consultórios como em plantões que exigem trabalho integrado com outros setores e com diferentes profissionais.

Além disso, mediante procedimentos médicos em equipe — como a realização de grandes cirurgias ou de exames de maior grau de complexidade — os profissionais envolvidos terão tranquilidade quanto ao menor risco de fraude na assinatura de documentos.

A adesão aos novos recursos da tecnologia pode facilitar bastante as diversas áreas de atendimento na Saúde. Muitas são as possibilidades que auxiliam o trabalho médico e tornam a rotina desse profissional cada vez mais dinâmica.

O uso da certificação digital é uma das vantagens que tornam a adesão ao CRM digital bem mais seguro. Esse recurso possibilita que o médico valide e libere documentos por meio de uma assinatura virtual, e com o mesmo valor legal de um documento em papel.

Como o CRM Digital pode ser utilizado?

Como vimos, além de ser utilizado na rotina médica, a modalidade digital do registro médico também pode ser usado para outras situações. Entre as mais relevantes destacam-se as apresentar a seguir.

Formas de uso pessoal

  • assinar ou ratificar contratos digitais;
  • gerar e emitir procurações eletrônicas;
  • substituir a Cédula de Identidade (RG);
  • verificar transações bancárias de modo online;
  • consultar situação fiscal ou cadastral na Receita Federal;
  • validar e confirmar a identidade pessoal em diferentes documentos.

Formas de uso profissional

  • enviar declaração anual de Imposto de Renda (IR);
  • acessar certidões e serviços junto à Receita Federal;
  • assinar e deliberar contratos com assinatura eletrônica;
  • identificar o médico em processos seletivos ou concursos;
  • liberar e assinar documentos necessários à prática médica;
  • participar de serviços oferecidos pelo Conselho de Medicina disponibilizados à classe médica;
  • aderir à modalidade de Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), que é possível por meio da certificação digital.

Quais são as vantagens da versão digital do CRM?

Como vimos, o CRM Digital é a nova identidade médica e é uma forma de o profissional se adequar às novas possibilidades tecnológicas e modernizar as condutas médicas.

Há algumas vantagens relevantes em aderir esse novo modelo de documento de identificação profissional. Veja quais são!

Documento ecologicamente correto

Ao longo da história da humanidade, o médico sempre foi um profissional visto como modelo para a sociedade. Por isso, algumas condutas médicas chamam a atenção, e de um modo muito natural.

Nesse sentido, utilizar um documento que tem a qualificação de ser ecologicamente correto torna-se, na atualidade, um bom exemplo de medida sustentável a ser seguido. Entre outras vantagens desse modelo de CRM, há o benefício ecológico da redução do excesso de lixo em papel.

Integração com o Certificado Digital

Para maior segurança dos procedimentos médicos, o uso do CRM Digital está atrelado à autorização por uma entidade certificadora.

Para a emissão, validade e utilização desse documento, a classe médica precisa estar alinhada com a Legislação vigente  e com as normas — propostas pelo CFM — e que regem os procedimentos para a solicitação do CRM Digital.

Acesso ao Portal Médico

Participar do Portal Médico assegura vantagens como a atualização de cursos, capacitações, cronogramas de congressos e outras atividades de interesse da classe. Com o CRM Digital, o médico poderá ter acesso mais fácil a esses benefícios, além de promover mais chances de integração com outros colegas de profissão.

Proteção antifraude

Mediante o agravante crescimento dos riscos impostos pela ação dos hackers, contar com uma modalidade de documento mais seguro é essencial. Nesse sentido, diminuir a vulnerabilidade aos atos fraudulentos contribui para maior tranquilidade do profissional no exercício da prática médica.

Quais os principais cuidados exigidos pelo uso do CRM Digital?

Para a classe médica, a utilização do CRM Digital oferece uma gama de benefícios. Contudo, é preciso ter atenção a alguns aspectos para não ter problemas com a utilização indevida desse documento.

Tendo em vista o rápido crescimento da “indústria do hacker”, sujeitos mal intencionados poderão tentar falsificá-lo, o que pode colocar o médico em situação de risco.

No âmbito legal, vale ressaltar que o CRM Digital é um documento com validade jurídica. E, como tal, ele assume caráter pessoal e intransferível, o que assegura o direito de ser utilizado apenas pelo titular.

Logo, é necessário ficar atento a alguns pontos. Observe:

  • evite a plastificação de sua nova cédula de identidade médica, pois resguardar a imagem de riscos e incidentes é um dos itens de segurança fundamentais;
  • não empreste seu CRM Digital para terceiros, nem mesmo para estagiários, auxiliares ou secretária;
  • guarde o PIN em local seguro, para impedir que ele seja utilizado ou copiado por pessoas alheias;
  • faça buscas periódicas em sites confiáveis e confira a atualização de seu CRM Digital;
  • se desconfiar do uso indevido de seu registro médico, não crie alarde em redes sociais antes de tomar as medidas cabíveis.

Como obter um Certificado Digital?

O Conselho Federal de Medicina (CFM) definiu um termo de cooperação técnica com todas as Autoridades Certificadoras para oferecer, em condições diferenciadas, a certificação digital do tipo PF A3 para os médicos.

O CFM alerta, ainda, para que os médicos escolham unidades certificadoras que atendam os padrões estabelecidos pela ICP-Brasil. Dessa forma, esses profissionais estarão mais seguros em relação à garantia de autenticidade, veracidade, integridade e valoração jurídica dos documentos adquiridos na modalidade eletrônica.

Contudo, vale destacar que a utilização do Certificado Digital pelo médico é facultativa. Todavia, para utilizá-lo nos sistemas de informação, os médicos deverão procurar uma Autoridade Certificadora com competência para inserir o certificação digital padrão da ICP-Brasil.

Uma das vantagens do Certificado Digital é a possibilidade de utilizá-lo para a assinatura eletrônica de diversos documentos. São utilizados diferentes recursos computacionais para garantir que o documento eletrônico assinado com um Certificado Digital seja realmente seguro.

Em termos de integridade e confiabilidade, o Certificado Digital pode ser comparado a uma impressão digital. Ou seja, cada documento assinado possui um único identificador que o diferencia dos demais e garante a sua segurança.

Para a solicitação do certificado para utilizar o CRM Digital é necessário que o profissional médico esteja com o cadastro atualizado e ativo no CFM. Além disso, a documentação deverá ser apresentada na forma original e em condições de identificar o solicitante.

Confira, agora, qual a documentação exigida para validação do Certificado Digital:

  • Cadastro de Pessoas Físicas (CPF);
  • CRM válido, e emitido no Brasil pelo CFM;
  • Registro Geral (RG) ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • comprovante de endereço residencial em nome do titular que solicita o certificado.

Qual a importância da ICP-Brasil, AC e AR para a validação dos Certificados Digitais?

A Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP) vem do original inglês Public Key Infrastructure (PKI). Assim, a ICP-Brasil é responsável por definir e deliberar autoridade legal às instituições que atuam como Autoridades Certificadoras.

Há dois tipos de unidades certificadoras: a AC Raiz (Autoridade Certificadora Raiz), cuja responsabilidade está a cargo do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI); e a AC (Autoridade Certificadora).

Cabe ao ITI, enquanto AC Raiz o papel de emitir, distribuir, expedir, autorizar, revogar e gerir os certificados das AC classificadas como primeiro nível.

Todas as Autoridades Certificadoras (AC), tanto públicas como privadas estão vinculadas à ICP-Brasil. Por sua vez, esse órgão tem a função de estabelecer previamente a identificação do futuro portador do Certificado Digital.

Além disso, as Autoridades Registradoras (AR) são vinculadas a uma AC. Desse modo, a AR assume a competência de identificar e realizar o cadastramento presencial dos usuários e, em seguida, encaminhar as requisições de certificados às respectivas AC.

Como o modelo brasileiro de certificação garante mais segurança ao CRM Digital?

A liberação do uso do documento eletrônico oficial pelos profissionais da medicina ocorrerá somente mediante a devida certificação por empresa credenciada à infraestrutura governamental. Essa medida é de caráter legal e foi estabelecida para garantir maior segurança ao CRM Digital.

Porém, esse novo modelo de documentos não exclui o uso e nem se sobrepõe aos antigos modelos de CRM de papel, ainda amplamente utilizados pela classe médica.

Desse modo, os documentos são equivalentes e podem ser usados normalmente. Como vimos, a utilização do CRM digital fica restrita à validação por autoridade certificadora competente e filiada à ICP-Brasil.

Mediante à importância e o compromisso da classe médica com a população, os documentos de identificação médica precisam de ter a máxima garantia possível.

Por isso, os Órgãos responsáveis pelo controle da certificação primam pelo cuidado de assegurar a lisura das condutas médicas, sobretudo no que se refere à identificação profissional.

Além disso, o uso da certificação para autenticar o CRM Digital possibilita as seguintes vantagens:

  • maior credibilidade profissional nos serviços prestados às instituições de saúde;
  • mais segurança para a execução das tarefas de rotina;
  • melhor  integração de dados e indicadores de saúde;
  • redução dos erros de interpretação de grafia;
  • maior possibilidade de redução de custos;
  • aumento da confiança dos pacientes;
  • melhoria na eficiência operacional;
  • possibilita a mobilidade digital.

Por que os médicos precisam se alinhar às novidades tecnológicas?

Poucos setores foram tão beneficiados pelo crescimento tecnológico como a Saúde. Nas últimas décadas, as tecnologias usadas para identificação diagnóstica evoluíram exponencialmente.

Um exemplo clássico é o avanço nos métodos diagnósticos na medicina preventiva fetal. Os recursos tecnológicos tornam possível detectar a probabilidade de um feto desenvolver uma doença quando estiver na fase adulta. Isso permite a equipe médica direcionar condutas de prevenção ainda na gestação.

A aplicação da robótica na realização de procedimentos cirúrgicos — online, instantâneo e integrado — entre profissionais de diversas cidades ou países já se tornou comum. Esses procedimentos não ocorrem apenas no mundo desenvolvido, já que o avanço tecnológico possibilita esses recursos em caráter global.

Além do mais, a rapidez e a assertividade diagnóstica faz com que a tecnologia possa salvar muitas vidas. Isso é fantástico, pois quanto mais cedo as doenças são diagnosticadas, maiores serão as chances de cura e de reabilitação da saúde do paciente.

Em síntese, os números da saúde e as incontáveis possibilidades que as ferramentas tecnológicas garantem alertam para uma realidade que aumenta a competição no mercado da saúde.

Isso demonstra a necessidade de os profissionais da classe médica se adequarem a essa realidade. No entanto, essa adequação sugere a necessidade de apostar nas inovações tecnológicas — como o CRM Digital —, modernizar o atendimento e se tornar ainda mais competitivo.

Agora é com você: que tal compartilhar este artigo nas redes sociais de seus amigos para que eles fiquem ainda mais alinhados às inovações tecnológicas!