Como desenvolver as competências organizacionais mais buscadas pelo mercado

como desenvolver competências organizacionais

Diferenciar-se no mercado e oferecer soluções inovadoras e exclusivas é um grande desafio. No entanto, é fundamental para que sua organização se destaque e alcance resultados impactantes. Para isso, é importante definir e desenvolver boas competências organizacionais.

Neste post, vamos explicar um pouco sobre o que são essas competências, como elas podem ser desenvolvidas dentro da empresa e como garantem que seu negócio seja único. Tem interesse no assunto? Então, continue a leitura.

Afinal, o que são as competências organizacionais?

As competências organizacionais são um conjunto de fatores que contribuem para a criação da identidade da marca. Elas tornam a empresa única e promovem um diferencial competitivo.

Essas competências são como um portfólio de conhecimentos, habilidades e atitudes específicas da equipe e do negócio, que compõem a cultura da organização e determinam sua rotina, missão, visão e valores. É importante entender que as competências organizacionais são mais do que simples habilidades dos colaboradores.

Elas dizem respeito à cultura organizacional e são importantes para conseguir uma equipe alinhada e que atue com foco no planejamento central do negócio. Dessa forma, as competências organizacionais podem englobar diferentes questões, como as relacionadas às estratégias competitivas, modelo de negócios ou gestão de pessoas.

Quais são as competências mais desejadas pelas empresas?

A escolha das competências organizacionais ideais se difere conforme a área de atuação da organização. Uma indústria focada em tecnologia, por exemplo, pode ter como uma de suas principais competências a inovação. Dessa forma, cabe aos gestores estruturarem estratégias e ambientes que a estimule em seus colaboradores.

Já uma empresa que tem a agilidade como competência organizacional central deve buscar ferramentas e treinamentos que possibilitem minimizar processos burocráticos e atuar com mais produtividade. Um exemplo seria apostar no Agreement Cloud da Docusign e nas assinaturas eletrônicas.

Apesar das particularidades de cada negócio, algumas competências se repetem em diferentes áreas. Alguns exemplos são:

  • atendimento de qualidade;
  • visão transversal do negócio;
  • iniciativa;
  • liderança;
  • organização, entre outros.

Isso não significa, no entanto, que todos os profissionais precisam apresentá-las como soft skills. Com uma gestão por competências bem implementada, é possível definir metas e criar planos estratégicos, dividindo a organização em partes e fazendo com que todos os setores se inter-relacionem e contribuam de formas diferentes.

Para facilitar o entendimento, as competências organizacionais são divididas em dois tipos: básicas e essenciais.

Competências básicas

As competências básicas são os pré-requisitos para que uma empresa se mantenha ativa no mercado. No caso do varejo, por exemplo, podemos citar boa localização, bom atendimento e uma oferta de produtos que atenda aos clientes da região.

Um estabelecimento que maltrata seus clientes ou oferece itens que não se encaixam no consumo da população está fadado ao fracasso. Sendo assim, é importante refletir sobre quais pontos são obrigatórios para que sua empresa continue no negócio. Esses fatores podem estar relacionados à localização, preços, mercadorias, serviços, entre outros.

Competências essenciais

Já as competências essenciais são aquelas que diferenciam sua organização dos concorrentes e fazem com que ela seja única no mercado. Elas devem gerar valor aos clientes e ser exclusivas e de difícil imitação.

Encontrar algo que destaque você das demais organizações do mercado, no entanto, não é uma tarefa simples. Por isso, é preciso realizar muita pesquisa de mercado e planejamento, além de buscar por aprimoramento e inovação constantes. Vejamos um exemplo para que você consiga entender melhor essas competências.

Vamos imaginar uma cervejaria que trabalhe com produtos artesanais. Em meio à pandemia, a empresa criou novas estratégias de venda e passou a oferecer um clube de assinaturas, em que o cliente recebe três tipos de cervejas artesanais em casa, todos os meses.

Esse tipo de serviço se torna um diferencial para a empresa, ou seja, uma competência essencial. No entanto, caso os concorrentes descubram sua estratégia e passem a adotá-la, essa competência deixa de ser essencial e passa a ser básica, afinal, não é mais algo único.

Dessa forma, será necessário que a organização inove e teste outras ações e iniciativas para conseguir novos diferenciais, que não sejam facilmente copiados pelos concorrentes. É o caso de sabores exclusivos de cervejas ou uma apresentação marcante.

Como desenvolver essas competências?

O primeiro passo para o desenvolvimento das competências de uma empresa é realizar um mapeamento. Esse tipo de pesquisa ajuda o líder a entender quais são as necessárias para o sucesso da organização e quais precisam ser desenvolvidas ou aprimoradas.

Outra estratégia interessante é o benchmarking, que consiste em um processo de estudo das melhores práticas utilizadas por empresas que atendem ao mesmo segmento, mas que não são concorrentes diretos.

Para isso, é possível enviar um de seus colaboradores para outra empresa de referência e possibilitar que ele absorva experiências. Dessa forma, o profissional voltará com novas ideias e iniciativas, e cabe aos responsáveis pela gestão buscar formas para que elas saiam do papel.

Por fim, é importante estimular a cultura da colaboração, mostrando à sua equipe quais as competências necessárias para o sucesso do empreendimento e como cada time pode ajudar nesse processo em busca de resultados.

Como as habilidades dos funcionários devem estar alinhadas às competências da empresa?

Quando falamos sobre competências de empresas, acabamos caindo na ideia de gestão de pessoas. Isso porque o tema não está apenas relacionado ao modelo de negócios, mas também, às habilidades pessoais que podem complementar a organização.

Dessa forma, uma empresa que tem o bom atendimento ao cliente como competência básica precisa buscar por colaboradores gentis e prestativos, ou encontrar formas de capacitar e motivar os profissionais para que eles estejam alinhados com essa cultura.

Uma boa maneira de estimular e desenvolver as soft skills do seu time é por meio de treinamentos e workshops. Além disso, é importante incentivar a troca de conhecimento entre os times e realizar eventos e dinâmicas que promovam a interação e o trabalho em equipe.

As competências organizacionais são um conjunto de fatores importante para que seu negócio se diferencie da concorrência e consiga resultados mais eficientes. Para determinar quais diferenciais abordar, é importante realizar pesquisas e ficar de olho no que está sendo feito no seu mercado de atuação.

A Docusign conta com uma suíte de soluções que podem ajudar seu negócio a atuar de forma mais estratégica e produtiva, auxiliando em diversos processos, como no gerenciamento do ciclo de vida de contratos. Quer conhecer melhor nossas soluções? Então, entre em contato conosco.

Autor
DocuSign Contributor
Publicados
Temas relacionados