Nossa série, “Women in Tech”, coloca os holofotes em funcionárias que trabalham com tecnologia. Aqui, elas nos contam os motivos pelos quais escolheram essa carreira, suas funções na DocuSign, quem são seus exemplos de vida e muito mais. Na DocuSign, nós acreditamos na próxima geração de líderes femininas na tecnologia e queremos ajudá-las a trilhar o melhor caminho. Nessa semana, sentamos com Laura Ashley-Wielt, gerente de Program Management em San Francisco.

Qual é sua atual função na DocuSign e o que você faz durante sua rotina?

 Eu gerencio um pequeno time de Program Managers e determino sua carga de projetos. Também gerencio o processo de planejamento de desenvolvimento de produtos e o ciclo de todo este setor. Minha parte preferida do trabalho é gerenciar um programa que abrange toda a empresa. Hoje eu estou coordenando um grande programa que consiste em quatro projetos em três locais diferentes – é muito divertido.

O que seus filhos, amigos ou família pensam que você faz?

Meus filhos acham que eu fico sentada na mesa, faço barulho digitando, vou para um monte de reuniões e fico dando ordens para as pessoas como eu faço em casa.

Quando você escolheu trabalhar em tecnologia e por quê?

Eu caí acidentalmente na tecnologia quando eu estava estudando para conseguir minha licenciatura. Eu escrevia bem, então me pediram para fazer um artigo sobre um novo software que seria lançado, e isso pagou minhas aulas. Trabalhando para aquela empresa, eu fui introduzida a um mundo de mentes criativas com novas formas de pensar e possibilidades infinitas. Depois de três meses dando aulas, eu senti falta daquela história do software e da tecnologia. Foi quando desisti e a companhia para qual eu tinha escrito o artigo me contratou. Nunca mais olhei para trás.

O que mais te anima em trabalhar na DocuSign e por quê?

Eu amo as pessoas e os desafios que encontramos para chegar nas necessidades dos clientes, atender requisitos de compliance e contemplar casos de uso complexos. Em outras empresas, se você vê um processo que pode ser melhorado ou um problema que pode ser resolvido, você precisa levar uma sugestão a incontáveis níveis de hierarquia para talvez conseguir o que quer. Na DocuSign, somos empoderadas para fazermos parte de toda a inovação e mudança na companhia.

Como uma mulher neste setor, você leva alguma pessoa como exemplo para sua carreira? Quem são eles(as) e por que você os(as) admira?

Conforme eu fui ficando mais velha, minhas expectativas com meus modelos evoluíram. No início da minha carreira, eu idolatrava líderes que eram durões e intimidadores. Sempre olhava para “a pessoa mais esperta da sala” e queria ser como ela. Aí fui ficando mais experiente e notei que as pessoas que eu queria realmente emular eram aquelas que cultivavam colaboração e compartilhavam ideias. Eu queria estar junto de pessoas que traziam outras mais inteligentes do que elas para o recinto e faziam a mágica acontecer. A partir disso, eu tenho três grandes ídolos que, quando eu tenho algum desafio, eu paro e penso “o que eles fariam?”. Eles não são famosos, mas me moldaram bastante, e eu sou eternamente grata. São Rick Mascitti, Denise Park e Minette Norman. Eles me ensinaram que você é tão forte quanto o membro mais fraco da sua equipe, então é preciso procurar trabalhar com gente mais inteligente do que você. Também me ensinaram a buscar talentos que vão além de habilidades técnicas, e que seu passado nunca deve te impedir de atingir seus objetivos profissionais.

Que conselho você daria para as mulheres que consideram fazer carreira na tecnologia?

São necessários muitos tipos de habilidades e interesses para fazer uma empresa de tecnologia funcionar. Como eu disse, eu fui para a área de tecnologia meio sem querer – eu estudei sociologia, história e espanhol. Trabalhar nessa indústria nunca nem passou pela minha cabeça. Então, eu diria que se sua maior preocupação é não ter um diploma de exatas (engenharia, computação e afins), isso não vai te impedir de nada. Eu aprendi muito mais no escritório do que eu poderia aprender na faculdade. Portanto, independente do seu gênero, siga na tecnologia ou em qualquer outra área sem culpa e sem pressão. Todos nós temos talentos incríveis para oferecer às empresas. Escolha sua paixão e canalize-a em seu trabalho. A empresa que escolher contar com essa sua paixão é a empresa que você quer trabalhar!

Quer seguir carreira em tecnologia na DocuSign? Fique de olho nas nossas vagas abertas!