A segurança de dados se torna cada vez mais estratégica para as organizações. Isso tanto é verdade que muitas empresas já concentram boa parte de seu valor em produtos digitais, documentos e informações sobre o mercado. O prejuízo de perder tudo isso em um ataque ou em uma invasão pode ser simplesmente irrecuperável.

Para se proteger completamente, uma única solução não basta. É preciso investir em defesas para todos os tipos de ameaças, desde um ataque ransomware até o gotejamento do ar-condicionado que acabou destruindo uma estante inteira de documentos físicos.

Pensando em tudo isso, resolvemos trazer para este post 6 lições valiosas sobre segurança de dados. Pronto para evitar riscos aos ativos mais importantes da sua empresa? Então boa leitura!

1. Digitalize todos os documentos do negócio

O primeiro passo para contar com uma segurança de dados mais eficiente envolve a digitalização dos documentos da empresa. Afinal, não é segredo para ninguém que cópias físicas ocupam muito espaço, são de difícil manuseio e tomam um tempo precioso dos colaboradores com burocracias.

Ainda vale a pena ressaltar que, além disso, manter tudo em papel exige cuidados especiais. Documentos físicos precisam estar armazenados em instalações climatizadas e protegidas contra incêndios, alagamentos e outras ameaças, como mofo e traças. Além de ser cara, essa segurança também é menos efetiva.

Por outro lado, documentos digitais podem ser copiados indefinidamente, quase sem nenhum custo extra. Essa característica não só facilita a recuperação dos dados se for preciso como ajuda na proteção das informações, por meio de uma criptografia bem mais impenetrável que qualquer cadeado físico, no caso de envolver dados sensíveis, que demandem limitação de acesso.

2. Mantenha aplicativos e sistemas atualizados

Um dos piores ciberataques da história foi o ransomware WannaCry, que sequestrou dados de inúmeras pessoas e empresas ao redor do mundo no começo de 2017. Um detalhe importante sobre esse incidente é que só foram afetados os computadores que estavam com uma instalação ultrapassada do Windows. A fragilidade explorada pelo WannaCry foi corrigida pela Microsoft em uma atualização liberada 2 meses depois do ataque.

Para se manter protegido, portanto, é muito importante estar em dia com as atualizações de segurança dos sistemas operacionais e aplicativos usados na empresa. Lembre-se, afinal, de que esses updates são lançadas por uma razão, podendo poupar muitas dores de cabeça no futuro.

3. Crie uma política de segurança para o BYOD

Bring Your Own Device: esse termo em inglês que pode ser traduzido como traga seu próprio dispositivo é usado para representar a flexibilidade que algumas empresas oferecem ao permitir que os colaboradores levem seus computadores pessoais para o ambiente de trabalho. São diversas as vantagens proporcionadas pelo BYOD, indo desde a redução dos custos de TI até o aumento da satisfação dos colaboradores, que só trabalharão em equipamentos e plataformas com que se sentem confortáveis.

No entanto, é preciso ter um cuidado extra com a segurança de dados ao implementar o BYOD. O acesso à rede corporativa precisa ter restrições e os colaboradores devem seguir uma política de segurança estendida a seus dispositivos pessoais. No caso de informações que não devem ser divulgadas, é importante elaborar formas de limitar sua replicação e até mesmo o acesso a elas, evitando que alguém eventualmente leve esses dados embora.

4. Defina e reforce regras de segurança

Pode acreditar: o comportamento dos usuários em uma rede é mais determinante para sua segurança que qualquer antivírus ou firewall. É fundamental, portanto, que a empresa não só crie, mas reforce regras de segurança para evitar que os colaboradores cometam erros comprometedores — como cair em uma armadilha de phishing, revelando senhas ou outras informações sensíveis para potenciais invasores.

É preciso lembrar que o componente humano é sempre o mais incerto e vulnerável quando falamos em segurança de dados. Assim, enquanto todos os outros elementos que compõem um sistema de proteção costumam ser confiáveis, as pessoas podem tomar ações imprevisíveis, comprometendo com isso todo o restante.

Por essas e outras, um sistema de segurança deve ser sempre visto como o casco de um navio: basta um único furo para que a água entre e comprometa todo seu funcionamento. Logo, além da parte da tecnologia, é muito importante ter atenção ao elemento humano. Uma dica aqui é sempre estabelecer contratos com colaboradores e parceiros que tenham acesso aos dados ou aos sistemas da empresa, reforçando nesse documento as regras de acesso e segurança.

5. Use softwares especializados em proteção digital

Além de uma política de segurança de dados abrangente e clara, é importante que a empresa tenha o suporte de aplicativos especializados em proteção digital. O ideal é que seja feito um bom investimento nessas tecnologias, passo que deve ser escalado de acordo com o porte da empresa.

Não esqueça: quanto maior e mais relevante é um negócio, mais visado ele automaticamente se torna. Com isso, aumenta também a necessidade de reforçar a segurança de dados como um todo. Aí entram os softwares especializados, parte essencial da estrutura de segurança de qualquer corporação.

6. Tenha um plano de recuperação de desastres

Na prática, pode acontecer de, mesmo com toda a proteção sendo feita da maneira certa, os dados da empresa sejam destruídos por algum evento inoportuno — desde um ataque devastador de um malware desconhecido até uma falha humana. Independentemente da causa e por mais que seja mínima a probabilidade de repetição, é preciso estar preparado. E a melhor forma de lidar com isso é por meio do plano de recuperação de desastres.

Basicamente, o plano de recuperação de desastres consiste no conjunto de ações tomadas pela empresa para se restaurar depois de eventos que interrompam suas atividades e causem danos à sua estrutura. Esse plano normalmente vai além da segurança de dados, mas está intimamente ligado a ela.

Para se recuperar de um desastre, qualquer empresa precisa ter uma política de backups regulares, o que evita que muito tempo de serviço seja perdido com as consequências do incidente. Idealmente, deve existir uma redundância nesses backups, o que protege ainda mais os dados do negócio no caso do armazenamento de alguma informação ter sido comprometido.

Agora que você já conheceu 6 lições práticas de segurança de dados, que tal aproveitar para ler nosso e-book sobre segurança da informação e garantir de que não ficará para trás na corrida digital?