Essa é a visão de Brad Brooks, CMO da DocuSign. Em entrevista para o site irlandês Silicon Republic, Brooks falou sobre a importância dos desenvolvedores para a empresa, como a API está mudando o mercado e o futuro das transações eletrônicas e o papel do Digital Transaction Management (DTM) para mudar o mundo dos negócios. Ele foi categórico: “Se a última década foi do aplicativo, a próxima certamente vai ser da API”.

A DocuSign foi destaque na lista da publicação online como uma das empresas de negócios da nuvem de crescimento mais rápido do mundo e que está operando na Irlanda. Com um crescimento anual da receita de 78,9% desde 2014, a base de usuários cresceu cerca de 170%, enquanto a de clientes aumentou em 225%. A filial irlandesa foi implantada no ano passado para oferecer suporte técnico e facilitar as vendas locais.

O tempo trouxe mudanças importantes. Brooks contou que há cerca de um ano, os planejamentos para estratégias que empresa adotaria para os próximos três a cinco anos começaram. Através de estudos e pesquisas, foi notado que a API estava se tornando algo muito maior. “APIs têm sido grande parte de nossa estratégia e têm crescido vertiginosamente agora”, declarou. Elas têm impulsionado o crescimento do volume de transações que utilizam as assinaturas eletrônicas. Isso fez com que os desenvolvedores ganhassem mais importância na hora de pensar em estratégias de negócios.

De acordo com ele, as APIs vão acabar com os softwares em alguns anos e quem oferecer um bom serviço para desenvolvedores adaptarem as ferramentas às suas necessidades vai sair na frente. Por isso, o foco da DocuSign em transações digitais com assinaturas eletrônicas está cada vez maior. Ele disse que “tornou-se normal para as empresas de médio e grande porte ter seus próprios recursos de desenvolvimento, com seus próprios apps internos e usando APIs e os serviços específicos. Mas eles estão ajustando APIs em seus processos de fluxo de trabalho específicos e é isso que mais e mais clientes querem”.

As novidades para o setor de transações digitais não param por aí. Ele espera que o blockchain mude bastante a forma como as negociações e a Internet das Coisas (IoT) funcionem nos próximos anos. “É o que mostramos no ano passado com o processo de pagamentos. Você associa blockchain com seu carro e ele pode ser associado com o serviço de leasing, que é associado com um provedor de seguro, e que associa com um cartão de crédito, e agora o carro pode cobrar por pedágios ou pagar por seu hambúrguer em um drive-through. Ele também pode atualizar automaticamente um contrato com a seguradora, para que, caso você dirija menos de 24 mil km por ano, pague uma tarifa diferente”, informou.

Como líder de mercado, a DocuSign mais uma vez sai na frente na hora de oferecer transações seguras, que podem ser feitas em qualquer lugar do mundo, a qualquer hora e em qualquer dispositivo. “Quando você pensa no futuro dos pagamentos, tudo é sobre a integração simples entre todos os nossos contratos e capacidades de transação”, ele contou. Com uma Rede de Confiança Global que já conta com 100 milhões de usuários e mais de 250 mil clientes no mundo todo, o futuro não tem limites.

Com o foco em API, a DocuSign espera ir muito mais longe nos próximos anos. Ele finalizou afirmando que “a parte da API é crucial para isso. Precisamos tornar mais simples para os desenvolvedores se conectarem nesses diferentes espaços. Cabe então à imaginação do desenvolvedor como eles podem querer usar nossos serviços e se conectar a coisas diferentes onde eles precisam dessa plataforma de autenticação e confiança.”

(Visited 278 times, 1 visits today)

Tags