Afinal, como as plataformas em nuvem podem otimizar a rotina das empresas?

plataformas em nuvem

A chegada da era digital trouxe uma série de mudanças para toda a sociedade, o que inclui o mundo corporativo. Já é uma realidade nas empresas de todos os segmentos a substituição de processos manuais por tarefas mecanizadas e o uso cada vez mais comum de ferramentas tecnológicas para o desenvolvimento das variadas atividades operacionais cotidianas.

Nesse cenário, as plataformas em nuvem constituem um recurso que vem transformando a rotina administrativa do ambiente empresarial. Essa tecnologia tem potencial para otimizar consideravelmente o funcionamento das empresas. Foi levando isso em conta que preparamos este post completo sobre o assunto.

Vamos explicar o que são as plataformas em nuvem, que mudanças foram geradas com o uso desse dispositivo e quais os principais tipos de serviços de tal recurso. Também mostraremos as principais vantagens de utilização dos sistemas em nuvem e de que forma eles podem tornar bem mais eficiente a rotina das empresas. Não deixe de conferir até o final!

O que são plataformas em nuvem?

As plataformas em nuvem são um tipo de ferramenta tecnológica baseada em cloud computing, termo que, em português, é traduzido como computação em nuvem. Trata-se da utilização de uma rede de servidores e computadores conectados através da internet com a finalidade de executar serviços de tecnologia da informação, sendo os mais comuns o processamento de dados em servidores e o armazenamento de arquivos.

A computação em nuvem abrange diversos serviços de tecnologia da informação, entre os quais estão, por exemplo, os sistemas de gestão integrada de dados, as ferramentas de big data, os dispositivos de aprendizado de máquina e a realização de backup. Ao contar com diferentes — e importantes — funcionalidades, esse recurso tecnológico é capaz de gerenciar uma série de tarefas, processos e operações a partir de uma única plataforma.

O trabalho com o sistema na nuvem possibilita o acesso seguro a recursos que estão localizados em um servidor externo, de modo que é possibilitado ao usuário acessar a plataforma de maneira remota, bastando que ele esteja conectado à internet. Assim, banco de dados, sistemas operacionais, bem como arquivos elaborados e salvos nos mais diversos formatos não precisam mais ser armazenados em equipamentos físicos, a exemplo de discos rígidos.

O princípio operacional desse tipo de recurso tecnológico fundamenta-se na possibilidade de transferência da responsabilidade sob a implantação dos serviços de tecnologia da informação para um servidor virtual. Tal característica potencializa ainda mais a utilização de serviços em nuvem pela empresa, uma vez que ela não precisa se preocupar com aspectos de implementação e manutenção da plataforma, o que é feito pelo fornecedor da tecnologia.

A computação em nuvem vem sendo constantemente aprimorada nos mais diferentes tipos de plataforma, o que, em geral, é feito de acordo com as demandas dos usuários, tanto os individuais, quanto os corporativos. Além disso, as funcionalidades e principais atributos dessa tecnologia podem ser customizados a partir das necessidades específicas do segmento de negócio.

O que mudou com os serviços em nuvem?

O surgimento e a popularização dos serviços em nuvem trouxeram mudanças significativas e que geram impactos consideráveis para a companhia, sobretudo no que diz respeito à facilidade de acesso a recursos e dados, assim como à sua utilização. Em comparação à computação tradicional, a tecnologia em nuvem é mais rápida, eficiente e barata. A seguir, vamos mostrar as modificações mais importantes.

Tipo de pagamento

Em termos gerais, o pagamento pela utilização da tecnologia em nuvem incide apenas sobre a quantidade de usuários e de recursos consumidos ao longo de um período de tempo. No valor de pagamento relativo ao mês, o provedor que fornece o serviço já inclui os gastos com uma equipe especializada de suporte, a manutenção dos equipamentos e outras despesas pré-estabelecidas em contrato.

Dessa maneira, a empresa paga somente pelo número de usuários que realmente têm uma licença ativa para o uso de determinado recurso, portanto, sem a necessidade de divisão dos gastos relativos a aplicações e servidores da plataforma em nuvem com outros setores da companhia. O pagamento refere-se ao tempo de armazenamento na infraestrutura em vez de incidir sobre o componente completo.

Formato de oferecimento dos recursos

Uma característica importante da implementação da computação em nuvem em um negócio é que a corporação que utiliza a tecnologia contratada não é a proprietária dos softwares, servidores e sistemas operacionais que estão contidos no fornecimento dos provedores cloud computing. Assim, os recursos são oferecidos à empresa como um serviço, cuja responsabilidade de prestação é do fornecedor.

Essa nova realidade muda a forma como a companhia lida com a tecnologia da informação que é operacionalizada em seus setores. Nos serviços em nuvem, é o provedor que deve investir em diversas ações, como a atualização dos equipamentos, os procedimentos de segurança de informação, a qualificação e o pagamento de uma equipe de suporte e manutenção, a implementação de nobreak e a implantação de sistemas de controle de temperatura.

Modalidade de recebimento dos recursos

Outra mudança significativa é o modo como os recursos em nuvem contratados são recebidos pela empresa que os contrataram. Esse recebimento ocorre via protocolos de internet, de forma que, se no modelo tradicional, seriam necessários vários dias para a obtenção de um servidor, com o uso do cloud computing, uma máquina virtual pode ser contratada por meio de poucos cliques.

Os procedimentos de solicitação e de recebimento de suporte e manutenção também ocorrem através da rede mundial de computadores. Se, no formato tradicional, seria demandada a atuação presencial de uma equipe, no modelo em nuvem, todo o processo é desenvolvido pelo provedor da solução, havendo a interação com os profissionais especializados por meio de e-mail e chat, por exemplo.

Garantia de qualidade dos serviços

contrato estabelecido entre a companhia que fornece os recursos em nuvem e a empresa que os contrata garante que os serviços contratados serão fornecidos de acordo com o que foi estabelecido no documento. Isso é possível porque as cláusulas e os termos acordados entre contratante e contratado estabelecem detalhadamente as responsabilidades do provedor com relação à qualidade do que é oferecido.

Há diversas especificações nesse instrumento jurídico. É comum que esse tipo de contrato preveja o ressarcimento nas situações de indisponibilidade temporária de um serviço em nuvem. Também é frequente que, nesse documento, estejam incluídas as definições relativas ao período de tempo máximo que o fornecedor tem para dar suporte a eventuais problemas, assim como efetuar a manutenção e a atualização periódicas.

Quais são os principais tipos de serviços na nuvem?

Atualmente, a computação em nuvem pode ser oferecida por meio de três tipos de serviços, cuja escolha dependerá das necessidades específicas da empresa que fará a contratação. Na sequência, vamos tratar de cada um deles.

Infraestrutura como Serviço (IaaS)

A sigla IaaS significa Infrastructure as a Service. A opção por este formato possibilita a utilização dos serviços em nuvem e o acesso, por meio da internet, aos recursos necessários à infraestrutura da hospedagem. Essa infraestrutura tem a mesma função que os dispositivos físicos normalmente entregues aos usuários no modelo de computação tradicional, como as redes, os hardwares, os servidores e o storages.

Com a adoção desse tipo de tecnologia em nuvem, não é necessário que a empresa se preocupe com todos os equipamentos demandados para efetuar os procedimentos de manutenção, como ar-condicionado, geradores de eletricidade e nobreaks. O IaaS permite o acesso a recursos computacionais eficientes por meio da internet, o que exige somente o pagamento pela utilização do serviço e elemina os custos com a ancoragem das soluções.

Podemos comparar a contratação desse tipo de recurso com a ida a uma churrascaria. Nessa analogia, seriam comparadas algumas horas para utilizar a churrasqueira, o carvão, a grelha, os espetos e demais utensílios exigidos ao churrasco sem precisar se preocupar com os funcionários necessários para efetuar o serviço ou com o aluguel do espaço onde está alocado o estabelecimento.

Plataforma como Serviço (PaaS)

PaaS é uma sigla que corresponde à expressão Platform as a Service. A adoção dessa modalidade possibilita o desenvolvimento, a implantação e o gerenciamento dos recursos em nuvem, além da sua integração com os aplicativos e softwares de negócios usados pela companhia. O PaaS ainda é responsável pelos dispositivos de hardware e os sistemas operacionais exigidos para o seu funcionamento.

Em temos gerais, na Plataforma como Serviço, cabe à equipe de tecnologia da informação da empresa somente usar e gerir o software tendo em vista as necessidades da empresa. Todos os procedimentos de licenciamento de sistemas operacionais e banco de dados, manutenção de hardware e outras demandas de ordem operacional são de responsabilidade do provedor em nuvem que foi contratado.

Vamos voltar à comparação dos serviços em nuvem com a churrascaria. No formato PaaS, estariam disponíveis a churrasqueira, o carvão, a grelha, os espetos e demais utensílios necessários ao churrasco, tal qual no modelo IaaS. No entanto, ainda estariam à disposição os temperos, os molhos, a farofa, o vinagrete e as carnes, isto é, todos os ingredientes necessários para que o churrasco seja feito.

A diferença fundamental existente entre o formato IaaS e a modalidade PaaS é a abrangência do serviço contratado. Enquanto na Infraestrutura como Serviço há apenas a contratação dos recursos computacionais, ficando a cargo da empresa o licenciamento, a administração e o gerenciamento dos sistemas operacionais, na Plataforma como Serviço, a responsabilidade da companhia que fez a contratação é somente com as aplicações e os dados.

Software como Serviço (SaaS)

A sigla SaaS diz respeito ao termo Software as a Service. Nesse modelo de serviço em nuvem, cabe ao provedor a responsabilidade pelos sistemas operacionais, hardwares, assim como pelo desenvolvimento, manutenção, gestão e suporte de uma determinada aplicação. Em contrapartida, a empresa que contratou esse recurso em nuvem usa o software ou o sistema via internet.

Portanto, nesse formato de fornecimento de serviço em nuvem, a companhia contratante não tem quaisquer preocupações com questões operacionais de natureza técnica. Dessa maneira, a empresa não precisa se ater às formas de funcionamento do software online, sendo as suas únicas responsabilidades os pagamentos da mensalidade, a inclusão e a exclusão de usuários no sistema e a conexão com a internet.

No exemplo que aplicamos aos modelos IaaS e PaaS, o formato SaaS corresponde à ida tradicional de um cliente à churrascaria. Ao ir a esse estabelecimento comercial, o consumidor não tem que se preocupar com a escolha dos ingredientes, o processo de tempero das carnes, o preparo e a manutenção da churrasqueira, o tempo demandado para que o churrasco fique pronto e o seu ponto. Basta que o cliente entre, faça o seu pedido, coma o que solicitou e pague pelo que consumiu.

Quais são as vantagens desse serviço?

A implantação de qualquer um dos tipos de serviços em nuvem apresentados anteriormente gera benefícios significativos para a empresa, uma vez que mesmo a mais simples delas é capaz de otimizar a rotina administrativa da empresa. A seguir, vamos mostrar as principais vantagens que são propiciadas pela adoção de recursos em nuvens. Veja quais são elas!

Redução dos custos operacionais

Nos modelos de computação em nuvem, as empresas que contratam os recursos pagam apenas por aquilo que, de fato, utilizam. Esse formato contratual evita o desperdício de dinheiro com o pagamento de serviços desnecessários ou que não são usados pela companhia. Além disso, há a redução de gastos com a compra de material de escritório (como papel, toner e pasta de arquivamento) e de dispositivos de armazenamentos computacionais físicos, a exemplo de hardwares e redes.

Maior mobilidade

Uma das maiores vantagens da implementação de plataformas em nuvem é a mobilidade gerada por esse serviço. Por se tratar de uma tecnologia cujo acesso é feito pelos usuários de maneira remota, esse recurso possibilita aos profissionais devidamente autorizados acessarem sistemas e dados da empresa de qualquer lugar e a qualquer momento, de modo a agilizarem demandas de trabalho em conformidade às necessidades do negócio.

Além disso, os serviços em nuvem estão de acordo com o processo de disseminação das conexões mobile com alta velocidade e o uso em larga escala de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, tecnologias que, baseadas no princípio de mobilidade, são cada vez mais utilizadas no ambiente corporativo. O uso de plataformas em nuvem é essencial para as companhias que mantêm colaboradores em regime home office, os quais precisam ter acesso às informações da corporação.

Ganho de flexibilidade

O uso dos soluções em nuvem permite à empresa contratar serviços personalizados que atendam às suas demandas particulares, o que proporciona mais eficiência e confiabilidade aos processos que executa internamente. Também é possível fazer a integração entre ferramentas de interesse para o funcionamento operacional do negócio, o que, entre outras ações, leva ao compartilhamento de informações entre softwares diferentes.

A flexibilidade dessa tecnologia é também observada no contrato firmado que, em geral, prevê modificações na quantidade de recursos contratados de acordo com a demanda de serviços da empresa. Nessa ótica, ocorre a adaptação do serviço em nuvem para atender a um maior número de usuários e a um fluxo elevado de dados, de modo que, por exemplo, a capacidade de armazenamento de informações e de processamento de servidores é aumentada para dar suporte a necessidades sazonais da empresa.

Aumento da segurança da informação

Infelizmente, ataques cibernéticos são cada vez mais comuns no mundo corporativo, tornando fundamental a preocupação com a segurança de dados da companhia. Ao utilizar padrões internacionais de proteção, como SSL e criptografia avançada, a tecnologia cloud computing toma medidas de precaução eficazes contra a invasão de hackers e a contaminação das informações por vírus.

Além disso, a empresa pode se beneficiar das funcionalidades da plataforma em nuvem para proteger os seus dados. A execução de backups programados, assim como o controle preciso de acesso de usuários, por meio, por exemplo, da autenticação em dois tempos e com alertas de login, contribuem para eliminar tentativas de invasão e monitoram as contas dos colaboradores.

Atualização constante dos sistemas

Nos serviços em nuvem, a cada vez que uma nova versão dos sistemas contratados é lançada no mercado, a empresa contratante pode acessá-la automaticamente. No processo de atualização, o provedor fornece a todos os profissionais acesso às funcionalidades implementadas, tendo em vista eventuais correções de vulnerabilidade de segurança ou de bugs e melhorias, com orientações de utilização dos sistema que foram  atualizados.

Aumento da produtividade

O repositório unificado do sistema, cuja hospedagem é feita na nuvem, é o elemento técnico responsável por integrar equipes internas, setores e filiais da companhia a partir de melhorias nos processos de comunicação interna. Essa capacidade de centralização de dados permite o acesso remoto a informações e o compartilhamento instantâneo de dados, ações essenciais para elevar a produtividade dos colaboradores da empresa. O uso de nuvem híbrida, que agrega funcionalidades da nuvem privada e da nuvem pública, tende a otimizar o trabalho dos funcionários.

Contribuição para a sustentabilidade

O uso de dispositivos em nuvem diminui de forma considerável a tramitação de papel e a utilização de toners para impressora na empresa. Como boa parte dos procedimentos administrativos do negócio passa a ser efetuada por meio de tecnologias clould computing que possibilitam a elaboração, a edição e o armazenamento de arquivos, torna-se desnecessário fazer impressões de muitos tipos de documentos, o que contribui para a sustentabilidade ambiental.

Como a nuvem pode otimizar a rotina das empresas?

Conforme pudemos observar no tópico anterior, a adoção de sistemas em nuvem traz uma série de vantagens para as empresas. Na sequência, vamos mostrar como a implementação dessa tecnologia pode otimizar a rotina de um negócio. Veja algumas dessas situações!

Sincronização do trabalho em equipe

Em geral, para a consecução de um objetivo, é necessária a atuação de diferentes colaboradores. O uso de plataformas em nuvem facilita esse processo, já que possibilita, por exemplo, que vários funcionários trabalhem ao mesmo tempo em um mesmo documento, construindo-o conjuntamente. Essa tecnologia ainda permite verificar quais foram as alterações específicas feitas por cada um dos profissionais

Agilidade na tramitação de contratos

Não é incomum que o gargalo operacional de um negócio seja a tramitação de contratos, haja vista a complexidade desse tipo de processo. Com a implantação de serviços em nuvem, toda a elaboração do documento pode ser feita com maior rapidez e agilidade, abolindo a necessidade de entrega física do instrumento. Além disso, com a utilização da assinatura eletrônica, até mesmo a celebração do documento entre as partes pode ser realizada de forma remota.

Eficiência na organização de documentos

O armazenamento de documentos na nuvem provê agilidade e segurança nos processos de arquivamento documental de uma empresa. Por contar com uma base de dados altamente organizada e com facilidade de acesso e guarda de arquivos, a organização de documentos se torna muito mais eficiente. Ainda há a vantagem de evitar extravios e perdas, uma vez que a plataforma em nuvem é um ambiente totalmente seguro.

Digitalização dos processos

A adoção dos serviços em nuvem possibilita que grande parte dos processos administrativos desenvolvidos na empresa seja feita de modo digital. Relatórios, planilhas, tabelas e fichas, que antes eram desenvolvidas por meio de ferramentas da computação tradicional, passam a ser automaticamente geradas de acordo com a seleção de variáveis efetuada. Esse novo formato permite maior integração dos dados e melhora o fluxo de comunicação.

Disponibilidade de arquivos

A tecnologia cloud computing propicia maior disponibilidade de acesso às informações da empresa aos usuários autorizados. Assim, esses funcionários, sempre que necessário, podem acessar os arquivos salvos na nuvem fora das instalações da companhia, bastando, para isso, que disponham de uma conexão com a internet de boa qualidade. Essa característica é muito importante para os negócios que demandam o deslocamento dos seus colaboradores.

Uso estratégico dos dados

Por serem alimentadas com informações de diferentes setores e de variadas operações efetuadas pela empresa, as plataformas em nuvem têm capacidade para gerar dados precisos sobre o funcionamento do negócio. Com base neles, a companhia pode verificar gargalos no processo produtivo e traçar estratégias para saná-los. O uso estratégico dos dados também é importante para o planejamento da corporação.

Como mostramos, a utilização de plataformas em nuvem é essencial para otimizar a rotina administrativa de uma companhia. Seja qual for o seu porte ou segmento de atuação, a empresa se beneficia muito desse tipo de tecnologia na medida em que melhora o seu fluxo de contratos, eleva o nível de segurança das suas informações, aumenta a produtividade dos seus funcionários e reduz custos operacionais.

O post foi útil para você? Então, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais e ajude outras pessoas com essas informações! Quer levar desburocratização à dinâmica de sua empresa com digitalização de processos e assinatura eletrônica? Entre agora em contato conosco e injete competitividade em seus negócios! Ou realize um teste grátis.

Publicados