Muito se fala sobre a segurança de médias e grandes empresas, mas as micro e pequenas empresas também precisam estar preparadas para enfrentar as possíveis ameaças que surgem conforme a digitalização das transações se torna cada vez mais parte do dia a dia. Um estudo da Symantec revelou que os ataques a pequenos negócios estão aumentando a cada ano. Não há como fugir desse processo, mas é possível tomar precauções que impedem que informações importantes não caiam nas mãos erradas.

Muitas vezes, por serem menores, empresas acabam negligenciando a parte de segurança. Por acharem que seus pequenos negócios não são tão atraentes para quem pratica ataques cibernéticos, acabam não priorizando esta parte. Este erro tem sido fatal, pois exatamente este descuido gera um grande interesse dada a facilidade com que se pode obter resultados. Tecnologia defasada e um setor de TI – dentro da empresa ou terceirizado – que não se mantém atualizado ou que usa apenas o básico nas suas estratégias estão fadados a sofrer com este tipo de crime.

Um bom planejamento ajuda a estruturar a segurança de uma empresa. Ter uma estratégia clara sobre as medidas que precisam ser adotadas para evitar, assim como remediar um possível ataque são fundamentais nos dias de hoje. Esta estratégia deve abordar desde as medidas a serem tomadas como plano de prevenção, contingência e recuperação de danos à abordagem que a empresa irá tomar caso o problema atinja a esfera pública. Essas medidas são normais dentro de um mercado cada vez mais digitalizado e que exige constantes investimentos no setor.

A segurança nas transações é um elemento essencial de qualquer empresa. Uma das alternativas que pode ajudar a eliminar essa ameaça é a adoção da assinatura eletrônica. Buscar opções mais seguras é o ideal para evitar problemas futuros e os investimentos sempre valem a pena. Manter a privacidade dos dados armazenados evita vazamentos que podem determinar o fim de uma empresa. Fazer negócios de maneira confiável, com integridade e autenticidade é o caminho para eliminar vulnerabilidades. A melhor alternativa para isso é adotar o Digital Transaction Management, (DTM) da DocYouSign. O Gerenciamento de Transações Digitais elimina diversos riscos aos quais as empresas estão expostas.

O treinamento dos funcionários também deve ser parte das medidas adotadas para conter as brechas na segurança, com explicações básicas sobre segurança digital. O que pode causar problemas para a empresa? É possível correr algum risco calculado? Que tipo de informações podem ser acessadas e de quais dispositivos? Restringir a entrada, delimitando áreas para serem acessadas por determinados profissionais com senhas complexas (elas podem incluir maiúsculas e minúsculas, letras, números e símbolos) que precisem ser renovadas com alguma frequência – mensalmente, por exemplo – são itens que não podem faltar na lista.

Quem pensa em terceirizar esta área pode começar procurando informações de fontes confiáveis sobre os serviços de diversas empresas. O custo pode ser um pouco alto, mas ainda assim, pode valer mais a pena do que tentar reverter os catastróficos resultados de um vazamento de informações.

Outra opção é fazer negócios na nuvem. Apesar de parecer menos seguro, pois as informações estão num servidor distante, para oferecer este tipo de serviço, a DocYouSign, por exemplo, oferece segurança de nível bancário, monitoramento de todas as atividades que envolvem cada documento, restrição de acesso por parte do remetente, auditoria total da rede através do Global Trust Network, a Rede Global de Confiança e certificações de segurança exclusivas concedidas pelos principais órgãos reguladores do setor ao redor do mundo.

Cuidar da segurança digital é um passo na direção certa. Os investimentos para a transformação digital devem fazer parte da estratégia de toda empresa, seja ela de qualquer tamanho. Ter um plano e executá-lo corretamente é o caminho para não ser pego de surpresa por situações desagradáveis.

(Visited 267 times, 1 visits today)