O que fazer para evitar riscos financeiros nas empresas?

Gerenciar uma empresa é uma tarefa árdua, mas recompensadora se o gestor souber como lidar com as demandas do negócio. Trata-se de um processo que exige comprometimento para superar desafios, burocracias e os riscos financeiros vinculados às atividades de uma pessoa jurídica.

Dessa forma, é necessário estar ciente de que situações arriscadas fazem parte do cotidiano de qualquer empreendimento que almeja sucesso. Também é válido dizer que até marcas consolidadas vivenciam incertezas comerciais e operacionais, mesmo as que estão em regime de escalabilidade.

Neste conteúdo, discutiremos sobre riscos financeiros, mostrando os tipos que são mais enfrentados por uma companhia e como evitá-los da melhor forma. Acompanhe!

Quais são os principais riscos financeiros nas empresas?

Conheça as modalidades de perigos econômicos mais comuns nos empreendimentos.

Riscos operacionais

São todas as perdas que uma instituição sofre em razão das ações de colaboradores, de atividades mal planejadas, de ferramentas tecnológicas que não atendem às demandas com eficiência e de situações externas que comprometem o fluxo normal da empresa.

Como exemplo, vale mencionar softwares improdutivos, funcionários sem qualificação, erros na gestão de contratos e documentos, falha na segurança de dados, entre outros. Esses riscos são subjetivos e dependem de diversos fatores do cotidiano empresarial.

Riscos de crédito

Mostram o grau de confiança financeira de uma companhia. São empresas que operam com caixa negativo ou que já tiverem complicações com dívidas de clientes e empréstimos. As organizações que apresentam essas características têm dificuldades de obter crédito. Quando é aprovado, os juros são altos.

Riscos de liquidez

Refere-se à possibilidade de o negócio não pagar suas contas (fornecedores, parceiros, funcionários, financiamentos, contas fixas etc.). Em geral, a raiz do problema tem a ver com uma gestão econômica ineficiente e a falta de cobrança da clientela, o que prejudica o capital de giro.

Riscos de mercado

Esse é um risco que não tem a ver com as ações do empreendimento. Ele está atrelado ao mercado financeiro e aos reajustes de preços e taxas de juros. Na empresa, o impacto afeta o lucro e a performance econômica. Um plano de finanças ajuda a evitar prejuízos maiores, no entanto a instituição não tem muito domínio sobre a economia nacional ou global.

Risco cambial

Quem faz operações internas que dependem do uso de moedas estrangeiras fica à mercê do risco cambial. A oscilação do câmbio é consideravelmente previsível, mas não muito. Há situações em que o aumento dos valores deixa o mercado estrangeiro inacessível, prejudica o setor de compras (aquisição de insumos para produção e realização de serviços) e até mesmo leva a companhia a mudar de rumo.

Em contrapartida, para alguns negócios, uma taxa cambial elevada é uma boa notícia. Logo, o cenário deve ser estudado com atenção, considerando a dependência do empreendimento em relação ao capital estrangeiro.

Como evitá-los?

Agora que você conhece os principais riscos financeiros nas empresas, vamos às recomendações para evitá-los.

Defina o nível de tolerância ao risco

Determine o grau de exposição ao risco que a sua empresa está disposta a lidar. Essa prática dará margem para que a gerência se concentre na criação de valor. Dessa forma, é possível saber se ainda está funcionando dentro do limite de tolerância em termos de risco. Alguns elementos a serem considerados são:

  • relação custo-benefício de determinadas decisões;
  • período propício ao surgimento de riscos;
  • volatilidade do setor econômico e financeiro;
  • nível de confiança da gerência em relação ao capital do negócio.

Formule estratégias para gerenciar os riscos

É nesta etapa que a empresa levantará as estratégias para gerenciar os problemas financeiros a serem enfrentados. As escolhas dependerão de riscos e recursos específicos. Vamos aos métodos de acordo com cada categoria.

Risco de crédito

  • Análise completa do histórico comercial de clientes antes de fechar vendas a crédito;
  • lançamento de políticas de crédito a fim de comunicá-las aos consumidores antes de fechar negócio.

Risco de mercado

  • Conhecimento de mercado para analisar potenciais financeiros e realizar previsões de compras e investimentos;
  • obtenção e análise de dados mercadológicos, como tendências comerciais, comportamento do público-alvo e atuação da concorrência;
  • monitoramento da movimentação do mercado para conter ações que afetem a performance financeira da companhia.

Risco de liquidez

  • Acompanhamento das entradas e saídas de dinheiro;
  • fiscalização de pagamento dos devedores para detectar contas vencidas e tomar providências para recolhê-las;
  • envio de notificações de cobrança aos consumidores sobre seus valores devidos;
  • boa relação com instituições bancárias e credores para facilitar negociações de crédito em momentos de aperto.

Risco operacional

  • Seleção de profissionais adequados para realizar as tarefas com eficiência;
  • promoção de treinamentos periódicos que acompanham a realidade do segmento e do mercado;
  • controle da implementação e da execução do orçamento para não fazer gastos desnecessários ou subutilizar recursos.

Risco da taxa de juros

  • Seleção de taxas fixas na hora de solicitar créditos ou fazer investimentos a fim de garantir uma quantia fixa de rendimento de juros e evitar variações.

Risco cambial

  • Assumir ativamente uma posição de compra ou venda de moeda estrangeira;
  • ter uma conta em dinheiro estrangeiro para análise adequada de movimentações, receitas e despesas;
  • buscar auxílio de economistas para melhorar a gestão cambial e evitar surpresas desagradáveis.

Por que é importante mapear os riscos antes das transações?

No ramo empresarial, o equilíbrio gerencial deve prevalecer. Por isso, o levantamento de ameaças é importante, mas não deve ser exagerado, pois situações com pouca probabilidade de ocorrência não são tão relevantes para o cotidiano.

As características do empreendimento precisam ser consideradas durante o estudo de riscos financeiros. Uma recomendação é dialogar com as equipes para compreender o funcionamento das atividades de rotina.

Para ter uma visão panorâmica, é preciso mapear as vulnerabilidades do negócio a fim de identificar as demandas mais urgentes. Nesse mapeamento, você compreende quais ameaças devem ser anuladas.

Por último, vale dizer que evitar riscos financeiros é uma atividade obrigatória para empresas que desejam crescer de forma sustentável e segura. Além disso, é necessário que a gestão de contratos seja realizada de forma minuciosa e automatizada para reduzir riscos entre as partes envolvidas no negócio. Essa conduta é essencial para setores comerciais que lidam com negociações.

Nesse sentido, a DocuSign ajuda a sua companhia a digitalizar o gerenciamento de contratos. Além disso, contamos com a assinatura eletrônica, que dinamiza o processo para autenticar documentos nesta área, de forma segura e eficiente.

Despertamos seu interesse? Então, aproveite esta oportunidade e entre em contato conosco agora mesmo!

Publicados
Temas relacionados