O ponto de partida para alguém se posicionar enquanto marca na internet pode variar. O desemprego, a busca por uma complementação da renda ou simplesmente a tentativa de aproveitar o momento em que o consumidor se volta para a internet são alguns dos fatores possíveis. O fato é que o volume de negócios digitais cresce diariamente e a internet é cada vez mais o lugar onde todos estão.

A facilidade de acesso à rede criou, há alguns anos, um novo canal de comércio. Atualmente, cerca de 63% da população do Brasil está conectada. Essa estatística, somada à mudança que vem ocorrendo no comportamento do consumidor, abriu portas para inúmeras oportunidades de negócio.

A verdade é que a transformação digital não apenas modernizou muito o que as empresas já faziam, mas trouxe uma série de recentes modelos de atividades e empreendimentos.

Neste artigo, vamos falar a respeito das características dos negócios digitais e como algumas organizações conseguiram sucesso atuando nessa nova realidade. Você vai conferir:

  • O que são negócios digitais;
  • Características dos negócios digitais;
  • Diferença entre e-commerce e e-business;
  • Algumas ferramentas utilizadas;
  • Exemplos de negócios digitais bem-sucedidos;
  • Perfil do empreendedor digital;
  • Cases de sucesso;
  • Qual o futuro desse setor.

Acompanhe a partir de agora e descubra de que maneira sua empresa pode se adaptar.

1. O que são negócios digitais?

Os negócios digitais são aqueles que fazem uso da tecnologia e da internet para desenvolver e comercializar padrões mais modernos de produtos e serviços. É uma outra era de mercado, revolucionada pela web, em que consumidores e fornecedores estão cada vez mais conectados.

As funcionalidades surgidas dessa transformação já estão presentes no dia a dia das pessoas. Um exemplo é a possibilidade de consultarmos cardápios e fazermos um pedido em um restaurante com um simples toque na tela do celular. Sem contar que algumas das empresas mais rentáveis do planeta (Amazon, Uber, Airbnb, entre outras) operam somente por via digital, não possuindo, sequer, sedes físicas para atender seus clientes.

2. Características dos negócios digitais

Alguns elementos se apresentam comuns aos negócios digitais. Eles são inerentes às metodologias aplicadas para iniciar um novo empreendimento, ampliar a atuação de um comércio ou aumentar a receita.

Atualização permanente

O primeiro passo para ter sucesso no mundo online é se preparando para esse mercado. É fundamental conhecer o que acontece digitalmente em sua área de atuação, pesquisando o público, os concorrentes, os diferenciais oferecidos por outras empresas, as experiências buscadas pelo seu consumidor etc. Esse levantamento inicial de informações, na verdade, nunca deve se esgotar.

Considerando a rápida evolução das tecnologias e a inconstância do comportamento de consumo, é preciso renovar o aprendizado constantemente. A atualização de informações e tendências passou a ser requisito essencial para se manter competitivo. E são muitas as maneiras de buscar essa renovação: cursos online, blogs, fóruns, palestras, workshops, entre outras.

Conectividade

Essa é a palavra de ordem para os novos negócios. O sucesso das redes sociais (e, inclusive, o êxito das vendas por meio delas) é prova disso. As pessoas querem estar próximas umas das outras e também das marcas que admiram. Querem manifestar suas opiniões e, acima de tudo, serem ouvidas.

Conquistar espaço nas mídias sociais é fruto da construção de uma proximidade com a audiência. O benefício de fomentar a interação, respondendo dúvidas e comentários, é a obtenção de uma maior conhecimento do público. E conhecê-lo significa perceber tendências, identificar oportunidades, corrigir erros e implementar melhorias.

Se pensarmos na expansão da mobilidade digital, fica ainda mais clara a necessidade de as empresas se adaptarem. Elas devem estar acessíveis em vários dispositivos e, principalmente, promoverem o gerenciamento remoto de suas funções corporativas.

Tecnologias existentes

Para atender à demanda online, muitas ferramentas já foram desenvolvidas e facilitam as operações. Alguns exemplos são os mecanismos de comunicação com o usuário (chatbots), os formulários editáveis para pesquisas de satisfação, as plataformas de pagamento e os sistemas de controle logístico (para envio e acompanhamento de remessas de mercadoria).

Cada uma delas é pensada para otimizar os processos e facilitar a interação do usuário, e podem ser encontradas, inclusive, em versões gratuitas. Portanto, o uso dessas tecnologias é uma forma de gerar valor para o cliente, poupando custos.

Transformação digital

Incorporar essa concepção pode simbolizar mais que implementar ferramentas: significa incentivar uma mudança cultural. Nesse contexto, até mesmo o papel do profissional de TI ganha relevância tática para os resultados e para a busca pelo protagonismo no mercado.

Competitividade

Com relativo baixo custo para operacionalização, o número de novos negócios no ambiente digital é cada vez maior. Com uma concorrência altíssima, o desafio de continuar sendo lembrado é enorme. Ser o escolhido pelo cliente, então, é uma grande vitória.

Essa quantidade de opções na concorrência acaba influenciando a fidelidade dos clientes. O interesse permanente pelas melhores experiências cria um quadro de brevidade no relacionamento comercial com o público. Inseridos nessa conjuntura, os gestores devem lançar mão de novidades e melhorias no atendimento para garantir a competitividade.

Marketing contínuo

O conceito de marketing diz respeito a estabelecer uma ponte entre a marca ou o produto e seu público consumidor.

Na internet, tanto o conceito quanto as estratégias envolvidas ganham uma dimensão maior. O universo web exige o desenvolvimento de uma conexão entre a marca e a audiência, incentivando a formação de seguidores capazes de defender a empresa.

Esse é um dos requisitos para se chegar a tão sonhada autoridade. Nesse intuito, o marketing trabalha de maneira incessante para tornar a marca relevante a ponto de ser buscada e encontrada, culminando na fidelização do cliente.

Novos modelos de negócio

Uma preocupação que deve ser permanente é a tentativa de encontrar referências inovadoras com foco na satisfação dos clientes. Proporcionar experiências cada vez melhores é um diferencial importante, uma vez que as pessoas se mostram dispostas a pagar por isso e expressam constante interesse nesse aspecto.

3. Diferença entre e-commerce e e-business

Quando nos referimos a e-commerce, estamos falando do “comércio eletrônico” de artigos ou serviços. Essas transações não ultrapassam a esfera virtual, isto é, a escolha, o contato e o pagamento são feitos pela internet. Apenas eventuais contatos telefônicos via SAC e referentes ao transporte do objeto são realizados fora dessa cadeia digital.

O e-business (negócio eletrônico) tem um formato mais amplo. Contempla as relações comerciais com parceiros e fornecedores, além dos clientes, e mantém uma estrutura completa de processos setorizados. Ele pode agregar um conjunto de sistemas eletrônicos aplicados ao negócio:

  • ERP (Enterprise Resource Planning ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial) — ferramenta que integra e gerencia todas as atividades diárias da empresa;
  • SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) — meio utilizado para estabelecer contato com o cliente, tirando dúvidas e recebendo sugestões e reclamações;
  • CRM (Customer Relationship Management ou Gestão de Relacionamento com o Cliente) — é um conjunto de práticas e tecnologias com foco no cliente, para gerenciar todas as interações e usar as informações estrategicamente para aumentar as vendas;
  • BI (Business inteligence ou Inteligência de Negócios) — softwares capazes de processar dados de outros sistemas. A partir deles, são mapeados cenários e fornecidas previsões de resultados como suporte ao planejamento corporativo;
  • SCM (Supply Chain Managment ou Gestão da Cadeia de Suprimentos) — sistema que possibilita o gerenciamento dos processos de logística;
  • E-commerce — plataforma de comércio eletrônico que pode ser utilizada como uma das estratégias do e-business.

4. Ferramentas de negócios digitais

As soluções prontas são extremamente úteis para o êxito de projetos na internet. Conheça algumas!

Criação de blogs e sites

  • WordPress: ideal para criar blogs e sites, é o mais popular, e os usuários têm grande facilidade de utilização. Oferece diversidade de plugins e temas, adaptáveis a inúmeros segmentos e objetivos.
  • Wix: excelente ferramenta para criação de sites profissionais, inclusive adaptados para celulares.

Publicação de vídeos

  • YouTube: a maior plataforma de vídeos do mundo permite a hospedagem e a transmissão ao vivo (YouTube live). O site também é o segundo buscador mais utilizado pelos internautas, perdendo apenas para o Google.
  • Vimeo: uma alternativa ao YouTube, já que oferece mais funcionalidades.

Banco de imagens

  • Pixabay: permite baixar imagens em alta resolução gratuitamente.
  • Fotolia: oferece milhões de imagens a preços acessíveis e sem cobrança de direitos autorais.

Automação de marketing digital

  • Leadlovers: essa ferramenta integra diversos serviços em um só lugar. Oferece hospedagem de domínios, criação de landing pages, publicação de cursos online, e-mail marketing, gestão de leads etc.
  • Mailchimp: trabalha qualificação e nutrição de leads via e-mail marketing. Oferece também recursos de gerenciamento de campanhas. E tudo gratuitamente.
  • Towk.to: facilita o contato com os visitantes do site por meio de um chat online.

Conteúdo online em vídeo (webinário, aula online)

  • Facebook Live: cada vez mais utilizado por empresários, esse recurso permite receber comentários em tempo real durante a execução da live.
  • Webinar Jam: elabora o processo completo de um webinár, ou seja, inscrição dos participantes, customização de botões para call to action, chat online, pesquisas e replay.

5. Negócios digitais bem-sucedidos

Baixo investimento inicial, know-how compartilhado por outros profissionais e ferramentas prontas para início imediato. Essas são algumas das vantagens de iniciar um negócio digital. Para colocar em prática todo esse suporte, diversos exemplos de negócios podem ser considerados:

E-commerce

A venda de mercadorias pela internet realizada por meio de plataformas de loja virtual é definida como e-commerce. Ele difere das vendas nas redes sociais por possuir uma infraestrutura integrada de pagamento e remessa.

Vendas pelo Facebook

Embora seja uma possibilidade mais simples, o Facebook tem se mostrado um grande aliado dos pequenos negócios. A rede possui um alto potencial de engajamento e conta com recursos para divulgação, acompanhamento e medição de resultados.

Marketplace

Da mesma forma que a loja virtual, o marketplace também concentra a venda de produtos pela internet. Porém, trata-se de uma plataforma que recebe vários lojistas de um mesmo segmento, centralizando as buscas por determinados itens num mesmo site.

Os marketplaces são mediados por uma empresa responsável pela administração do site, a qual lucra com o percentual sobre cada venda.

Infoprodutos

É uma maneira de compilar um conhecimento a respeito de determinado assunto, transformando essa informação em um produto digital. Essas opções são rentáveis e têm alta escalabilidade. Alguns exemplos são: curso online, e-book, webinars, template, programa de áudio, palestra etc.

Canal no YouTube

A renda de um canal vem dos anunciantes que chegam a partir do momento em que o número de seguidores cresce. O progresso do consumo de conteúdo em vídeo no Brasil foi de 90% entre  2014  e 2017. Esse número, por si só, já demonstra todo o potencial do mercado de vídeos.

Desenvolvimento de aplicativos

Os aplicativos e outros softwares mobile apresentam demanda crescente. Diversas startups atuam a partir de seus aplicativos. Além disso, empresas já consolidadas também estão se tornando presentes no formato mobile. Ou seja, a oportunidade para desenvolvedores se multiplicou.

Assinatura

Modelo no qual o associado adere a planos mensais de pagamento para ter acesso a conteúdo exclusivo e direcionado a alguma área de conhecimento ou infoproduto. Exemplos disso são jornais, revistas, sites que comercializam insights a partir de minicursos, entrevistas e palestras online.

Aulas de língua estrangeira

A procura pelo aprendizado de uma língua estrangeira é permanente. Para quem domina outro idioma, dar aulas pela rede é uma excelente alternativa de renda.

Para iniciar o trabalho, basta desenvolver planos de aula orientados a diferentes perfis (nível de conhecimento e idade, por exemplo) e ter à disposição o Skype e uma boa conexão de internet. A divulgação do serviço pode ser feita por blog ou redes sociais.

Programa de afiliados

O afiliado faz uma ponte entre o dono do produto e o público, geralmente por meio de seu blog. Ele recebe algumas recompensas na medida em que consegue escalar o volume de acesso ao fornecedor a partir de anúncios em sua página pessoal.

Publicidade

Modelo que pode se tornar muito rentável ao atingir um bom patamar de seguidores. A fórmula é servir o público com conteúdo de alta qualidade (em texto, podcast ou vídeo) e comercializar artigos da marca e espaço para publicidade.

Produção de conteúdo

Conteúdo de qualidade é um dos recursos mais eficazes para atrair leads e mantê-los na jornada de compra. Consequentemente, o mercado de produção tem sido muito lucrativo. Uma vez que as finalidades podem ser distintas (informação, entretenimento, educação), há diferentes possibilidades de configuração: textos para redes sociais e blogs, podcasts e vídeos.

6. Perfil do empreendedor digital

Antes de começar a falar especificamente do empreendedorismo digital, não podemos deixar de reforçar dois pontos importantes.

  • Negócios digitais não são apenas para empresas em fase inicial. Assim como também não exigem uma migração total de uma organização para o modelo digital. Possivelmente, empresas já estruturadas e estabilizadas terão, em algum momento, que desenvolver recursos voltados para atender uma demanda na web.
  • O empreendedor também não é alguém que está começando um trabalho do zero. Ser empreendedor pode ser a característica (muito importante, por sinal) de um empresário ou gestor já atuante. O empreendedorismo está relacionado a uma postura de criar soluções, pensar criativamente e realizar o que ainda não foi feito. Portanto, essa atitude pode ser adotada em qualquer contexto, profissional ou não.

O profissional empreendedor, caso não tenha todas as características e habilidades que citaremos a seguir, certamente pode desenvolvê-las. Para isso, empenho e disciplina são fundamentais.

Iniciativa

Uma das capacidades mais desejadas em um profissional é que ele tenha predisposição para agir. Em ambientes empreendedores, como os das startups, essa aptidão é amplamente incentivada.

Para praticar a iniciativa, é preciso conhecimento prévio, observação de oportunidades e comprometimento com a decisão tomada. Ou seja, junto com essa qualidade há uma série de outras que fazem toda a diferença para desenvolver a criatividade e o autogerenciamento.

Dinamismo

Principalmente no mercado digital, as mudanças ocorrem de forma muito rápida. Para acompanhar esse cenário, não há como o profissional deixar de ter um perfil dinâmico e adaptável a tantas novidades.

O dinamismo tem a ver com velocidade para pensar em soluções e tomar decisões. E está relacionado ao interesse em aprender e à curiosidade de saber coisas novas.

Organização

Saber administrar o tempo e as prioridades são qualidades essenciais para realizadores. A organização permite que a energia de trabalho seja distribuída de maneira correta, proporcionalmente à importância que cada tarefa merece.

O empreendedor também sabe da necessidade de planejar sua rotina e o negócio que está administrando. O correto desempenho de qualquer projeto depende de um plano estruturado, com ações, prazos e metas. E a organização é o que garante uma execução perfeita.

Perseverança

Em uma entrevista, Steve Jobs afirmou que boa parte do que separa empreendedores vitoriosos daqueles que falham é pura perseverança. Ou seja, ter fracassos durante a jornada de colocar uma ideia em prática é comum.

Sendo assim, faz parte do processo utilizar os erros como aprendizado para tentar mais uma vez. Por essa razão, ser perseverante é um traço presente em todos aqueles que conseguem prosperar em seus projetos. Perseverar também significa ser paciente para encontrar oportunidades e agir estrategicamente.

Liderança

Ser líder, neste contexto, não está associado à hierarquia. A liderança deve ser um atributo que torna alguém capaz de comunicar com clareza e conduzir equipes a um objetivo em comum. Ao empreendedor cabe pôr em prática a liderança que estimula ideias e novas soluções e, ao mesmo tempo, desenvolve meios de colocá-las em prática.

Ele é a pessoa que alia conhecimentos técnicos e operacionais a uma elevada capacidade de gestão. Estar a frente de um time de alta performance não é uma tarefa simples, mas deve se tornar um objetivo diário a alcançar.

7. Cases de sucesso

Conheça algumas empresas que aproveitaram o potencial da web e transformaram suas ideias em grandes resultados:

Buscapé

O site, que faz comparações de preços entre e-commerces no Brasil, foi um dos primeiros negócios digitais de sucesso no país. Começou como uma startup até chegar a ser a maior companhia de pesquisa de preços da América Latina.

QuintoAndar

QuintoAndar é um aplicativo  Brasileiro de aluguel de imóveis residenciais que nasceu para simplificar o processo de locação do início ao fim. Conectamos proprietários e inquilinos de um jeito prático e seguro.

Peixe Urbano

Repetindo a referência vitoriosa da Groupon, tornou-se rapidamente uma grande startup. Para alcançar esse resultado, os empreendedores colocaram em prática conhecimentos adquiridos no Vale do Silício e levaram o Peixe Urbano a concorrer diretamente com a gigante que os inspirou.

Slack

Essa interface de comunicação interna nas empresas nasceu como uma plataforma de chat. Passando a aprimorar a interação entre equipe a partir de vários recursos, tornou-se uma das mais importantes ferramentas de suporte a projetos.

Kekanto

O aplicativo ajuda o usuário a encontrar os melhores estabelecimentos para conhecer. De tão promissora, a empresa recebeu investimentos milionários e hoje está presente em 15 países.

99

A startup de mobilidade urbana rapidamente se profissionalizou, se expandiu e conseguiu chegar ao patamar de disputar mercado com ninguém menos que a Uber.

8. O futuro dos negócios digitais

O processo de transformação digital é contínuo e a propensão dos empreendimentos em inovar é irreversível. Sendo assim, a tecnologia continuará remodelando os processos industriais e comerciais, além das maneiras como os clientes participam da cadeia de negócio.

Hoje, a burocracia está sendo simplificada e a assinatura eletrônica, que possui valor legal, já dispensa as assinaturas dos documentos em papel. É um ganho em agilidade e velocidade no fluxo de trabalho, o que não se pensava há poucos anos. Naquela mesma época, não existia o conceito de escritório digital, que oferece economia e mobilidade para empresas de todos os portes.

O digital representa a oportunidade de reinventar modelos para proporcionar benefícios cada vez mais abrangentes em todos os setores. O ecossistema da tecnologia não interrompe sua evolução e, para sobreviver ao futuro, as corporações precisam estar inseridas nisso.

A internet tem mudado a forma como nos comunicamos, estudamos, trabalhamos e a maneira como consumimos. É uma revolução, e adaptar-se a essa realidade é questão de sobrevivência.

A maneira de pensar e fazer negócios também foi diretamente impactada por essa transformação e a inovação nas empresas se tornou um objetivo tão buscado quanto a própria venda.

Por essas razões, os negócios digitais se tornaram parte de um novo mercado, que é mutante, volátil e está em expansão ininterrupta. A hiperconectividade é um caminho sem volta. Seguir nele, portanto, não é mais opção, é apenas questão de decidir como começar.

Este artigo ajudou você a entender um pouco mais sobre o mercado digital? Então, compartilhe o conteúdo nas redes sociais!