Os primeiros protótipos da telefonia móvel já eram vistos nos anos 1970, com walkie-talkies que funcionavam em táxis e caminhões com base em ondas de rádio e receptores instalados no fundo dos veículos. A partir disso, siglas como GSM, CDMA e 4G se sucederam até chegarmos às portas da internet 5G, que promete ser o ponto de partida para a Internet das Coisas.

Para que você tenha ideia do tamanho da transformação que estamos perto de ver na rede de dados móveis mundial, a tecnologia atual, o 4G, é capaz de alcançar velocidade de 1 Gigabit/segundo, enquanto o 5G atingirá velocidade 10 vezes maior, em torno de 10 Gbps.

Com isso, torna-se possível processar montanhas de dados cada vez maiores, criando as bases para um cenário de fábricas inteligentes, cérebros artificiais no atendimento ao cliente e objetos que se comunicam entre si.

Mas estamos realmente próximos desse momento? Por que especialmente as pequenas e médias empresas (que costumam abrigar parques tecnológicos mais defasados) precisam modernizar sua infraestrutura com urgência? É isso que você descobrirá agora!

O que é internet 5G e como ela funciona?

5G é o nome dado à quinta geração de internet móvel, uma evolução sem precedentes na comunicação para troca de dados entre servidores e dispositivos de todas as espécies (de laptops a smartphones).

Essa tecnologia assegura muito mais velocidade de download e upload, estabilidade de sinal, ampla cobertura e, principalmente, muito mais capacidade de trabalho com volumes de dados inimagináveis para a compreensão humana nos dias de hoje.

A internet 5G é fruto de inúmeras pesquisas feitas ao longo de anos para aprimorar as conexões móveis, suprindo alguns dos principais desafios do setor de telecom. Ainda que as especificações técnicas sejam complexas, de forma didática, podemos dizer que o 5G, diferentemente da sua geração anterior, trabalha com faixas de frequência mais elevadas (26 GHz contra 3,5 GHz).

Embora sua capacidade seja muito mais alta, o comprimento de onda menor provavelmente obrigará o setor de telefonia a atuar com antenas também menores e mais próximas ao chão, propagando ondas milimétricas a uma quantidade muito maior de retransmissores. Não se trata, portanto, apenas de nova tecnologia, mas também de novas estratégias de modulação e irradiação.

Em resumo, a quinta geração wireless traz larguras de banda maiores (500 MHz, 1GHz e 2GHz), ondas milimétricas e diminuição do tempo de latência (em torno de 5 vezes menor do que a latência da internet 4G).

Além dessas características, há também um aprimoramento da figura do beamforming (técnica de processamento de sinal que melhora a transmissão de dados e o alcance da rede Wi-Fi por meio do que pode parecer óbvio: em vez de transmitir o sinal para toda uma área, a transmissão se concentra exatamente sobre os dispositivos requisitantes).

Por que as empresas de telecomunicações devem oferecer a internet 5G?

Segundo o governo norte-americano, o setor de telefonia móvel do país planeja investir US$ 275 bilhões nas próximas décadas, o que representa a geração de 3 milhões de empregos e uma injeção de US$ 500 bilhões na economia. Mas não são somente os Estados Unidos que perceberam o que o furacão do 5G tende a fazer na economia mundial.

A Coreia do Sul, que já tem muitas organizações competitivas mundialmente trabalhando com internet 5G, há a perspectiva de investir US$ 26,2 bilhões nos próximos 4 anos. A ideia é criar até 2026 a mais completa e eficiente infraestrutura de rede móvel do planeta.

A razão para essa corrida tecnológica é simples: na era dos negócios digitais, deter o controle do 5G significa, de certa forma, possuir o controle sobre todos os segmentos da economia global.

Para as empresas, ter uma infraestrutura de ponta em redes móveis representa caminhos abertos para criar um ecossistema tecnológico catalisador de automatizações, que reduzem drasticamente os custos, aumentam exponencialmente a produtividade, diminuem erros e fazem correções em tempo real.

Como a internet 5G impacta as empresas de telecomunicações?

Drones, impressoras 3D, computação em nuvem e sistemas capazes de tomar decisões sem intervenção humana: o impacto da conectividade no mundo globalizado vai muito além do efeito que a tecnologia tem hoje.

Não se trata mais de usar a TI para registrar e armazenar dados: quando o 5G começar a levar recursos como Big Data, Internet das Coisas e realidade virtual/aumentada para a dinâmica corporativa/industrial, vai ser impossível se manter no mercado trabalhando de forma analógica.

Imagine uma fábrica de automóveis que produza seus veículos com robôs, os quais se locomovem internamente e fixam peças na medida exata (e em alta velocidade), tudo a partir da comunicação entre sensores, peças, componentes e operários “robotizados”?

Em muitas empresas, protótipos virtuais (chamados “gêmeos digitais”) são usados para testes e aprimoramentos. Nesses locais, nenhuma unidade é produzida antes da formatação perfeita do produto (o que derruba os custos com erros e correções). Mas não é somente a indústria que se beneficia da internet 5G.

Na educação, a análise de dados já vem sendo usada para criação de programas de treinamento personalizados (criados a partir do diagnóstico eletrônico das deficiências de cada aluno). No setor imobiliário, todo o processo de locação pode ser feito em poucos minutos, com captação eletrônica, vistoria a distância em 3D e assinatura eletrônica do contrato .

Quais são os benefícios para os consumidores?

O mundo cada vez mais móvel exige infraestrutura de dados compatível com as demandas atuais dos usuários. E o setor de telecom sabe bem disso.

Com o aumento voraz do volume de dados trafegados diariamente no mundo (especialmente em decorrência da popularização dos streamings de vídeo), as faixas de frequência estão congestionadas, o que acarreta lentidão e instabilidade de sinal.

Para uma empresa, essa irregularidade de rede impede a implementação de tecnologias que exigem 24h de disponibilidade. A internet 5G promete levar, portanto:

  • muito mais velocidade (10 a 20 vezes mais do que o 4G);
  • muito menos latência (5 vezes menor);
  • maior área de cobertura;
  • comunicação entre diversos dispositivos;
  • digitalização completa de processos.

A quinta geração de telefonia móvel representa o início de mudanças profundas nos processos produtivos, formas de comunicação com cliente e estruturação do trabalho.

Entretanto, para ter acesso a essa tempestade de tecnologias, como realidade aumentada, machine learning e Internet das Coisas, é preciso antes aprimorar os serviços de computação em nuvem e assinatura eletrônica em sua empresa.

Entre agora em contato conosco e dê o passo decisivo para implementar a transformação digital que vai levar sua empresa às inovações da internet 5G!