Indústria 5.0 e a valorização do capital humano: veja o que muda

A evolução tecnológica tem modificado as relações interpessoais por onde ela passa. Desde a primeira Revolução Industrial até os dias atuais, tudo vem se modificando por conta da inovação. Isso não é diferente quando se trata da indústria em geral, e um novo conceito vem surgindo: a indústria 5.0.

Se nas outras revoluções industriais o foco era direcionado às máquinas, essa nova evolução direciona seu olhar para o ser humano. Não é que elas não serão mais utilizadas, mas estarão alinhadas ao trabalho humano.

Essa indústria 5.0 busca proporcionar uma maior produtividade e simplificar a atividade humana. Pensando nisso, preparamos este texto para que você entenda mais sobre esse novo conceito que se insere no ramo industrial. Confira agora!

Um breve histórico da evolução industrial

Tudo começou na Inglaterra no século XVIII. Nessa ocasião, houve uma transição da manufatura para o sistema de fábrica com a utilização de novas tecnologias como a máquina a vapor, de fiar, entre outras. Os processos se tornaram mecanizados e aconteceu uma grande expansão de indústrias têxteis, transportes, metalúrgicas e siderúrgicas.

A utilização de carvão para alimentar as máquinas foi fundamental, e toda essa evolução da época fez com que houvesse uma grande expansão do comércio internacional.

A segunda grande revolução aconteceu entre os anos de 1850 a 1950. Essa foi uma época marcada pela consolidação do crescimento tecnológico e científico. Houve grandes descobertas na humanidade, como a invenção da lâmpada, do rádio, da televisão, do telefone, além de grandes transformações no setor de saúde.

Além disso, foi nessa fase que aconteceu uma evolução eficiente nos processos de produção das fábricas com o uso de esteiras rolantes, tendo como fundamentos o taylorismo e o fordismo. Isso gerou uma diminuição dos custos de produção e um aumento considerável dos lucros das empresas.

A terceira revolução na indústria vai dos anos 1950 até os dias de hoje. Ocorreram notáveis avanços nas ciências e na informática — notadamente com o surgimento dos computadores, a criação de softwares e da internet. Fontes de energia nuclear se tornaram bastante utilizadas em substituição de alguns combustíveis. Além disso, surgiram diversas leis trabalhistas com o intuito de regular e incluir benefícios para a classe trabalhadora.

A quarta revolução é baseada em grandes processos de automação com a utilização de sistemas inteligentes para o monitoramento e tomada de decisões. Dentro dessas fábricas do futuro, tanto as mercadorias quanto as máquinas se comunicam a fim de sanar falhas, realizar cálculos e determinar quando há necessidade de manutenções.

Essas modificações fazem com que a logística e a produção sejam mais dinâmicas, uma vez que a informação não mais será processada apenas em uma unidade central. Em resumo, a indústria 4.0 gera um mundo em que os sistemas de fabricação físicos e virtuais trabalham em conjunto de modo flexível e em nível mundial.

As mudanças que a indústria 5.0 está trazendo

A indústria 5.0 se trata de um novo modelo de produção em que o foco está na interação entre humanos e máquinas. Anteriormente, ocorreu um grande avanço da indústria digital: surgimento da Internet das Coisas Industrial e a combinação de Inteligência Artificial e Big Data promoveram um novo modelo de tecnologia que foi capaz de oferecer às empresas um conhecimento baseado em dados.

Em contrapartida, isso se traduziu em processos como Operating Intelligence e Business Intelligence, os quais geram modelos que aplicam a tecnologia com a meta de tomar decisões cada vez mais eficientes. Contudo, no decorrer dessa fase da indústria 4.0, o objetivo foi minimizar o envolvimento humano e dar ênfase à automação de processos. Até certo ponto, os humanos foram colocados em uma posição em que competiram contra as máquinas.

No caso da indústria 5.0, essa tendência é revertida: o foco é buscar um equilíbrio em que a interação entre o ser humano e a máquina seja capaz de disponibilizar maiores vantagens. Essas transformações já são irreversíveis. O processo oferta aos negócios a viabilidade de máquinas cada vez mais potentes em combinação com especialistas competentes para realizar uma produção eficiente, sustentável e segura.

A indústria 5.0 não é uma moda passageira, mas uma nova maneira de entender a manufatura que tem consequências produtivas, econômicas e comerciais. Sendo assim, as companhias que não adequarem sua produção ao modelo certamente se tornarão ultrapassadas, além de não usufruírem dos benefícios competitivos que esse novo modelo disponibiliza.

Não apenas isso: o padrão de aceleração tecnológica está cada vez mais veloz e demonstra que o surgimento de novos paradigmas nunca para. Por isso, ajustar os processos de cada negócio e transformá-los no conceito de indústria digital será essencial para garantir que uma organização continue competitiva.

O papel da digitalização e da inteligência artificial nesse processo

Sabe-se que a transformação digital está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas, e na indústria esse processo não é diferente. De modo básico, a digitalização nesse setor é a automatização de processos. Além do mais, ela é o pilar para o que se chama de inteligência artificial, proporcionando fatores como:

  • determinação de uma conexão de máquinas com a internet;
  • desenvolvimento e inserção de ferramentas automatizadas;
  • criação de um banco de informações a fim de administrar um grande volume de dados, entre outros.

Essas inovações são bastante uteis, uma vez que propiciam às organizações mais facilidades em promover suas atividades. Elas impactam também a diminuição de custos de gestão e operacionais.

Assim, percebe-se que a IA desempenha uma função essencial nos processos de digitalização na indústria. Atualmente, é preciso considerar novos desafios da tecnologia e suas aplicações, ou seja, é necessário que as organizações desempenhem uma conduta direcionada para a sustentabilidade, que é um dos pilares da indústria 5.0.

Esse novo modelo é inevitável e se trata de um grande movimento que busca um ambiente industrial mais sustentável e inclusivo, levando em conta as necessidades únicas de cada consumidor, uma vez que sua meta é suprir todas as precisões do indivíduo humano.

E aí, o que achou deste texto? Entre em contato conosco e saiba como nossas ferramentas digitais são essenciais para a evolução tecnológica da sua empresa!

Publicados
Temas relacionados