Quantos documentos você carrega diariamente e são necessários para alguma transação? Carteira de motorista, RG, CPF… sem contar as vezes que são necessários outros itens como título de eleitor e certidão de casamento, por exemplo. Perder um deles exige tempo para refazer e pode atrapalhar a produtividade do dia. Uma identidade digital seria ideal para otimizar tempo e até trazer mais segurança, em casos de fraude e perda.

A boa notícia é que este documento será uma possibilidade em breve para os brasileiros e vai facilitar demais o dia a dia. Chamado de Documento Nacional de Identidade (DNI), ele será emitido para tablets e smartphones em um primeiro momento e isso deve começar ainda em 2019.

A seguir, você entende um pouco mais sobre os benefícios que o DNI vai trazer para o seu dia a dia e quais as tendências em identificação digital. Já adiantamos que a produtividade e agilidade tendem a melhorar muito, uma transformação digital mais que necessária!

Como funciona a identidade digital?

Todo brasileiro poderá emitir a identidade digital — não apenas os eleitores que já têm cadastro na Justiça Eleitoral, como havia sido pensado antes. O programa do Governo Federal que dá sequência ao projeto chama-se Identificação Civil Nacional (ICN) e vai coletar os dados biométricos dos cidadãos.

O ICN está sob o comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão que tem todo um know-how de parametrização dos usuários e pode guiar o novo processo com bastante segurança. Caberá ao TSE recolher a biometria de todos, gerenciar o banco de informações da população e compartilhar os dados com os demais órgãos.

A identidade digital, a princípio, será emitida para tablets e smartphones e terá um número de identificação de nove dígitos, além de conseguir incorporar outros documentos, como RG, carteira de motorista e CPF. Ao longo do tempo, esse número será adicionado aos documentos de identidade de cada estado brasileiro. Vale dizer que até o momento a identidade digital é uma possibilidade para pessoas físicas.

Conheça a tecnologia envolvida

Diferente de um papel, que pode ser fraudado com mais facilidade, o DNI será gerado e também autenticado via verificação de chaves de segurança, tudo isso em um servidor protegido.

Automaticamente, vão aparecer dados criptografados em seu tablet ou celular. Assim, toda vez que você acessar a identidade digital, no servidor do governo, o sistema manda uma informação codificada que vai gerar um código naquele momento — você poderá lê-lo com outro dispositivo e fazer o crosscheck.

O sistema de criptografia permite que essas informações sejam lidas apenas por quem tem a chave de acesso, então, seus dados de identificação não podem ser adulterados.

Quais são as vantagens?

Em um momento no qual a transformação digital é tão presente e contar com banco de dados em nuvem é uma realidade, os documentos digitais tornam-se mais práticos e produtivos. Empresas que já têm processos digitalizados economizam tempo e dinheiro em transações. Como pessoa física, você se beneficia da digitalização por vários motivos, como trazemos na sequência.

Segurança

A segurança nos processos cresce porque você passa a ter alguns fatores de autenticação que comprovam que uma pessoa é ela de fato, como leitura biométrica ou o QR Code dinâmico gerado pela identidade.

Fraudes no meio digital são mais difíceis e podem ser detectadas de forma rápida, uma vez que a rastreabilidade é grande. É possível detectar um possível fraudador pelo seu IP e por qual equipamento foi usado.

Diferente, por exemplo, de garantir a autenticidade de uma assinatura no papel, quando a única evidência seria uma cópia do documento e grafia da pessoa. Nesse caso, para certificar de que não houve fraude seria preciso enviar a uma análise gráfica, checar a profundidade do papel e a quantidade de tinta — processos bem mais lentos e nem sempre tão acurados.

Praticidade, agilidade e produtividade

A longo prazo, quando a identidade digital for realidade a todos os brasileiros, serão necessários menos papéis para uma única transação. Pense só no tempo perdido juntando documentos para levar ao banco e autenticar firma. Essa praticidade resulta em menos tempo resolvendo burocracias.

Em países que já contam com a digitalização de documentos, como a Nova Zelândia, o processo de compra e venda de um veículo pode ser feito em minutos. No Brasil, você pode comprometer o seu dia indo a cartórios para autenticar firma de documentos e finalizar a transação. Assim, a produtividade em relação a DNI é um dos fatores que mais beneficiam os envolvidos.

Preservação ecológica

Diversos governos estaduais têm adotado a prática “sem papel’. São Paulo é um dos que apostou na iniciativa. Para isso, foi criado o sistema Portal SP Sem Papel, que pretende eliminar gradualmente o uso de documentos tradicionais entre os órgãos da administração pública, com o objetivo de ser mais ecológico, ágil e transparente.

A partir do momento em que a identidade digital for uma rotina, a economia vai além do papel e foca também no serviço postal, por exemplo. Dessa forma, estamos falando de economia em transportes e, consequentemente, menos poluição.

Quais as tendência em relação à identificação digital?

Muito ainda se fala em uso do número do celular para substituir o RG, mas não há nada concreto, visto que ele está vinculado à operadora. Abaixo, falamos sobre os meios mais certeiros e com mais eficiência para essa forma de identificação:

  • reconhecimento facial: técnica de processamento de imagem e visão, via computadores, para precisar a identidade de alguém;
  • reconhecimento da íris: essa parte do nosso olho é única, mas sua identificação pede equipamentos de ponta, visto que há muitas partes oculares a serem analisadas;
  • autenticação dobrada: a criptografia por QR Code dá sempre um código diferente ao acessar o documento e não possível dar print ou fotografar, já que o período de validade é curto. O SMS Token é outra forma de autenticação por meio dos números que um sistema envia ao celular para validar a identidade, usado hoje por bancos e diversas instituições;
  • biometria: muita gente associa a biometria ao reconhecimento da digital, mas pode ser qualquer parte do corpo, como verificação via íris, voz, rosto, geometria da mão, entre outros.

A identidade digital, ou DNI, é uma forma de acrescentar mais segurança a processos — até porque fraudes digitais são mais simples e rápidas de serem rastreadas e bloqueadas. A agilidade é outro ponto a se considerar: você otimiza o tempo fazendo transações eletrônicas. Sem contar que diminuir a emissão de documentos de papel é outra grande vantagem em um momento no qual todos olhos se voltam à preservação ecológica. Resumindo: menos burocracia, mais transparência e tranquilidade às suas transações!

Agora que você já viu como a DNI vai facilitar seu dia a dia, aproveite para entrar em contato com a DocuSign e ver como a tecnologia pode ser uma aliada para evoluir seus processos e permitir que sua empresa assine eletonicamente documentos.