Batizado em 2010 pelo norte-americano Sean Ellis, o growth hacking é o nome dado ao conjunto de técnicas e processos de experimentação em marketing, vendas e desenvolvimento de produtos visando um crescimento acelerado de um negócio, com alternativas de baixo custo e alta eficiência quando comparadas aos modelos tradicionais.

Apesar de ser especialmente comum em startups e empresas com modelos de negócios inovadores, as técnicas de growth hacking podem ser adotadas em praticamente qualquer tipo de negócio para conseguir uma taxa de crescimento acima da média de mercado.

Pensando nisso, neste artigo selecionamos 7 dicas de growth hacking para empresas que precisam alavancar suas vendas. Confira!

1. Segmente sua base de clientes

Segmentar a base de clientes é fundamental para o sucesso de qualquer tipo de estratégia de marketing de uma empresa e especialmente importante para o growth hacking.

Conhecer melhor quem é o público potencial da empresa é necessário para que as ações realizadas visando o crescimento da base de consumidores sejam efetivas. É preciso saber quais são os desejos, demandas e problemas enfrentados pelo cliente potencial para apresentar as soluções oferecidas pelo negócio da melhor forma possível.

Quanto mais segmentada for essa base de clientes, mais detalhada e precisa será cada uma das estratégias utilizadas para ativar esse público. Portanto, é importantíssimo coletar dados sobre esses consumidores e com isso desenvolver as chamadas buyer personas, que são representações semifictícias de clientes ideais da empresa e um material de referência excelente para os times de marketing e vendas.

2. Invista em mídia própria e mídia conquistada

Mídia é essencial para que um negócio seja visto pelos seus potenciais consumidores. Porém, além da chamada mídia paga — que são os anúncios, sejam eles online ou offline — a empresa também pode investir em outros dois tipos que são cada vez mais relevantes: a mídia conquistada e a mídia própria, que usualmente serão mais baratas.

A mídia conquistada é quando a empresa consegue chamar a atenção de um grande veículo de imprensa ou influenciador digital e é mencionada no conteúdo destes, conseguindo se destacar no seu mercado de atuação.

Já a mídia própria são os canais de mídia da marca, como um blog corporativo e suas redes sociais. É essencial desenvolver conteúdos relevantes para que esses canais consigam se destacar em mecanismos de busca e, com isso, potencializar o posicionamento estratégico do negócio, atraindo mais público e facilitando o trabalho dos times de marketing e vendas.

3. Faça ações para obter e-mails de leads

Se utilizado com inteligência, o e-mail marketing pode ser uma forma muito efetiva de atingir o público no espaço íntimo da sua caixa de entrada, junto das mensagens cotidianas pessoais e profissionais.

Mas, para conseguir o acesso para isso, é essencial formar uma lista de e-mails de potenciais consumidores, os leads. Conquistar uma boa lista não é fácil, mas existem técnicas para conseguir isso, como por exemplo oferecer e-books relevantes ao consumidor em troca do seu e-mail ou criar uma newsletter de interesse.

Uma vez que esses e-mails forem conquistados, é preciso cautela para não perder esse acesso: em vez de bombardear o público com material incessante, desenvolva um fluxo de nutrição sutil e persuasivo.

4. Colete (e utilize) todo tipo de dado relevante para vendas

A base do growth hacking é a utilização de experimentos para potencializar resultados. Por isso, é muito importante testar ao máximo. E para saber a eficiência desses testes, é fundamental coletar todo tipo de dado relevante para as vendas e o marketing.

O growth hacker é um especialista em dados. Com a análise constante de métricas de acesso, engajamento e muitas outras, ele é capaz de entender o comportamento do público e realizar pequenos ajustes para que as ações de marketing e vendas sejam mais eficazes.

Por isso, além de coletar o máximo de dados possível, é necessário também saber como e quando utilizar as informações obtidas por meio destes.

5. Utilize amostras e testes gratuitos de produtos e serviços

Um dos desafios na hora de vender é superar a barreira do pagamento. Muitas vezes, o cliente está interessado e curioso sobre um produto ou serviço, mas ainda não tomou coragem para investir naquilo sem ter convicção dos resultados que serão obtidos a partir disso.

Para superar esse obstáculo, a dica é utilizar as clássicas amostras gratuitas, que podem ser tanto uma pequena dose de um produto físico como um período de testes sem custos, como o que é oferecido por serviços como o Netflix.

Sem precisar tirar dinheiro do bolso para começar a usar, o cliente vai adotar a solução e depois, em vez de precisar pagar para experimentar, será cobrado para continuar utilizando algo de que gostou.

6. Adote estratégias de indicações para o negócio

Uma técnica amplamente adotada  para o crescimento acelerado de diversos tipos de negócios disruptivos ao redor do mundo são as indicações incentivadas. Nesse modelo, a empresa concede um bônus para os usuários que indicam novos consumidores, que normalmente também será compartilhado pela pessoa indicada.

Um exemplo clássico disso são as indicações do Uber. Quando um cliente indica um novo, ganha um desconto de R$ 10 em sua próxima corrida, enquanto o indicado também recebe o mesmo desconto em sua primeira utilização do serviço.

O gasto com essa indicação incentivada é menor do que diversas outras formas de aquisição de usuário.

7. Teste ao máximo as variações de anúncios

Por fim, o growth hacking deve sempre testar e afiar os seus anúncios pagos na web, como Google Adwords e Facebook Ads. Variações sutis nas peças podem gerar pequenas melhorias no engajamento que, somadas, fazem uma grande diferença para o resultado final.

Quando uma ação entra no ar e começa a atrair público, ela ainda é imperfeita. Logo no começo, é interessante testar variações como a troca das palavras “compre já” por “conheça agora” ao final do anúncio. Certamente, uma das duas será mais eficaz, e a única forma de descobrir isso é testando.

Com testes recorrentes, um anúncio se torna bem mais eficiente e o retorno sobre o que é investido fica maior.

Gostou de conhecer esses 7 dicas de growth hacking? Aproveite então para curtir a página da DocuSign no Facebook e ficar por dentro de mais dicas para potencializar as operações da sua empresa! Esperamos você!