Fluxonomia 4D: como ela pode auxiliar sua empresa a economizar?

Criatividade, colaboração e sustentabilidade. Da forma como percebemos, essa é uma das melhores definições para o futuro da economia moderna. Com isso em mente, elaboramos um artigo exclusivo sobre o tema. Afinal de contas, você sabe o que é a Fluxonomia 4D? Caso não, sem problemas!

Como perceberá nesta leitura, este é um tema recente, e que vem ganhando tração nos últimos anos. O nosso objetivo é apresentar essa tendência à sua atenção, demonstrando como conceitos de economia colaborativa e economia criativa serão preponderantes nos próximos anos. Então, não perca tempo e acompanhe!

O que é a Fluxonomia 4D?

Tanto o futuro como a economia sempre foram temas curiosos e interessantes. No entanto, o avanço exponencial da tecnologia dificulta a previsibilidade desse amanhã. Por isso, há tanto interesse em torno dos futuros moldes econômicos, que sugerem como será a dinâmica entre países, empresas e consumidores.

Nos últimos anos, quatro tendências econômicas ganharam a atenção do debate público. Aqui, falamos da economia criativa, da colaborativa, da compartilhada e do multivalor. O maior catalisador para todas essas tendências foi, claramente, a tecnologia. 

Nos últimos 10 anos, o mundo atravessou revoluções de conveniência, como o compartilhamento de caronas, que reinventou a mobilidade urbana, a locação imobiliária P2P, que abalou o setor da hotelaria, e muitas outras alternativas que favoreciam a experiência em detrimento da propriedade. 

Não por acaso, há uma aceleração de negócios e iniciativas de faturamento recorrente, em que uma assinatura mensal garante o acesso aos produtos e serviços. Esse tipo de abordagem econômica, pelo que tudo indica, veio para ficar, seja no consumo de ferramentas tecnológicas, mídias, serviços digitais e por aí adiante. 

Inclusive, essa transformação pode ser vista até mesmo em empresas de segmentos e modelos altamente tradicionais, como o automotivo. Até meados de 2019, o business desse setor, como um todo, consistia na venda de veículos com uma margem ligeiramente superior ao seu custo de fabricação.

No entanto, montadoras de todos os tamanhos, desde então, vêm investindo pesado em programas de assinatura para o uso de seus modelos. Especificamente no Brasil, essa tendência foi uma reação às próprias empresas de locação, que vinham conquistando bons resultados com esse molde operacional. 

No fim das contas, é disso que se trata a Fluxonomia 4D — um ciclo harmônico entre quatro tendências econômicas, que alia produtividade, compartilhamento, sustentabilidade, colaboração, valor e criatividade. 

Quais as etapas da Fluxonomia 4D?

Economia criativa, compartilhada, colaborativa e multivalor. Essas são as etapas que compõem a Fluxonomia 4D, tese que sugere uma economia cíclica, em um fluxo contínuo entre essas quatro dimensões, que se retroalimentam, criando um ambiente de produtividade sustentável ambiental, social e corporativo.

Abaixo, destacamos cada uma das etapas do fluxo. Dê uma olhada!

Economia criativa

Produção inerente à criação cultural, independente do formato, como conteúdos audiovisuais, jogos, livros, filmes, séries, cursos e afins.

Economia compartilhada

Compartilhamento de soluções de infraestrutura, facilitando o acesso, provendo a experiência sem exigir a propriedade, como aplicativos de carona, locação de imóveis P2P e por aí adiante.

Economia colaborativa

Integração entre diferentes empreendimentos e iniciativas econômicas, que permitem melhor distribuição de recursos, talentos e resultados. 

Economia multivalor

Circulação de recursos e produções de todos os tipos, e não somente financeiros, resultando em um ecossistema econômico, eficiente e sustentável. 

Como ocorre o fluxo nesse conceito? 

Em um primeiro momento, pode soar estranho como essas ideias podem se conectar para resultar em apenas um conceito, no entanto, o fluxo de produtividade e recursos entre essas quatro dimensões é bastante visível. Primeiro, há a Economia Criativa, que cria valor a partir de recursos intangíveis. 

Aqui, você pode incluir influencers, artistas, programadores e por aí adiante. Todo o capital criativo produtivo na primeira etapa, desemboca no consumo dos patrimônios tangíveis da Economia Compartilhada. Imagine, um programador que, depois de remunerado, utiliza aplicativos de carona para se mover pela cidade.

Ou então um fotógrafo que quer melhorar seus trabalhos, mas ainda não tem recursos para comprar certo dispositivo. Em uma plataforma de locação (Economia Compartilhada), ele aluga o equipamento, acessando a tecnologia, aprimorando seu trabalho, e aumentando seu retorno na Economia Criativa.

Inclusive, esse próprio exemplo ilustra a Economia Colaborativa, que é a criação de plataformas, soluções e ferramentas que permitam às pessoas e empresas a alavancarem seus resultados, acessando e compartilhando tecnologias, sejam materiais ou imateriais — hardware e software. 

O resultado dessa sinergia é uma cadeia produtiva altamente cíclica, e de baixo consumo material, a Economia Multivalor. Inclusive, a própria proposta do Metaverso, que aponta para uma instância digitalizada da vida física, já nos sugere mais um ambiente em que a criação digital será supervalorizada. 

Nesse sentido, o mérito do conceito de Fluxonomia 4D foi apontar que há uma relação cíclica entre essas quatro tendências, que tendem a aumentar exponencialmente seus resultados e produções conforme se retroalimentam. 

Como a DocuSign pode gerar economia para as empresas?

Por último, mas também importante, é momento de saber como a DocuSign contribui para esse admirável novo mundo, repleto de transformação digital, a ser herdado pela Geração Z. Caso não saiba, nós somos a principal empresa de tecnologia em soluções de autenticação de documentos, como sugere o nosso nome — DocuSign. 

Nos últimos anos, nós oferecemos uma das tecnologias mais importantes para que a sociedade continuasse operando. Aqui, falamos sobre a assinatura eletrônica. Essa é a ferramenta que permite que negócios, acordos e contratos continuassem a ser celebrados, indiferente à presença dos assinantes e de forma totalmente digital, permitindo mobilidade e corte de custos com transporte, armazenamento e impressão. 

Com o DocuSign eSignature, nós oferecemos a solução perfeita para que empresas mergulhem em sustentabilidade e economia. Mesmo enquanto Pessoa Física, nossa solução ajudou milhões de usuários por todo o mundo, viabilizando contratações, locações imobiliárias, e contratos de todos os tipos. 

Além de ser uma ferramenta fundamental para as gestões que querem adotar a tendência paperless, a assinatura eletrônica também é uma peça indispensável para quem deseja abrir empresa, pois oferece velocidade, praticidade, conforto e tecnologia. 

Agora que você está por dentro dos principais detalhes da Fluxonomia 4D, aproveite para dar o primeiro passo em direção ao futuro, à competitividade e à tecnologia.

Para isso, acesse nosso site e conheça nossas ferramentas, com 30 dias de teste grátis!

Publicados
Temas relacionados