Há algum tempo apresentamos um artigo sobre o nosso novo grande pilar para o futuro: modernizar os ‘Systems of Agreement’ das empresas de todo o mundo, automatizando e conectando tudo o que acontece antes, durante e depois de cada assinatura através da plataforma da DocuSign.

Nossa ideia é mudar as tecnologias e processos usados para preparar, assinar, executar e gerenciar acordos. Então, nessa série, vamos contextualizar cada uma das quatro etapas de um acordo que serão renovadas a partir deste movimento.

Assinatura

A etapa primordial do ciclo de vida de qualquer documento é sua assinatura, mas por mais que pareça, ela não é uma ação isolada dentro deste retrato. Existem muitas atividades envolvidas no processo de uma assinatura para que ela seja válida, e elas nem sempre são tão simples quanto poderiam ser.

Enviar um contrato para diferentes pessoas com funções diferentes, entre revisores, aprovadores e signatários, geralmente é sinônimo de dor de cabeça. Vias trocadas, papéis perdidos no caminho e assinaturas no lugar errado, por exemplo, são problemas mais do que comuns dentro de um cenário que deveria ser mais fácil e dinâmico.

Além disso, qualquer pequeno erro nessa fase do ciclo pode exigir que tudo comece do zero, fazendo com que todo o tempo, dinheiro e esforço gasto com determinado documento seja desperdiçado.

Pensando nisso, trabalhamos para que fosse possível concluir este processo mais rapidamente, com mais recursos de auxílio e mais segurança, facilitando e agilizando o estágio de execução dos contratos. Agora já é possível:

  • Assinar um documento e enviá-lo para diversas partes em apenas um clique.
  • Assinar usando qualquer dispositivo móvel, de qualquer lugar e a qualquer hora, mesmo sem acesso à internet.
  • Identificar cada signatário com um método seguro e legal, podendo variar de uma simples autenticação de e-mail até a apresentação de um documento oficial via videoconferência.
  • Determinar a ordem de assinatura, definindo quais signatários poderão assinar o documento antecipadamente e se outros podem assinar em paralelo.
  • Monitorar o status de cada participante no processo de assinatura, esclarecendo quem ainda precisa finalizar determinadas ações.
  • Certificar o processo de assinatura e o contrato concluído, incluindo um registro detalhado de quem fez o quê, como eles foram autenticados e outras informações contextuais.

Com um roteamento automatizado, identificação de signatário e captura de assinaturas legalmente válida, este estágio já tem tudo para ser mais ágil, prático, seguro e totalmente imerso na era digital.

Fique de olho no nosso blog para entender as próximas etapas dos ‘Systems of Agreement’ modernos.