A Microsoft é uma das poucas empresas do planeta que dispensa totalmente apresentações – afinal, tem como fundador ninguém menos que Bill Gates. Instituída em 1975, a companhia é líder mundial em softwares, serviços, dispositivos e soluções que ajudam pessoas e empresas a alcançar seu potencial completo.

Como líder no fornecimento de soluções de produtividade, a Microsoft se esforça para constantemente abrir o caminho para tecnologias transformadoras, e como parte de sua evolução para os serviços móveis e na nuvem, a empresa desenvolveu uma estratégia inovadora para estimular esse movimento: sua missão agora é fornecer ferramentas para as pessoas do mundo todo aumentarem sua produtividade. Como consequência, porém, a própria gigante da tecnologia adotou práticas digitais para se tornar mais eficiente.

Estes passos foram parte de um projeto interno da Microsoft chamado de “Digitopia”: uma ação para explorar, aceitar e adotar as vantagens da tecnologia no trabalho, digitalizando o máximo possível de processos para usar o mínimo possível de papel.

Sua rede interna se concentra em técnicas de redução de papel, no desenvolvimento de aplicativos de produtividade para monitorar o progresso, ferramentas digitais e treinamentos mais modernos. No fim das contas, a companhia procurou uma solução de assinatura eletrônica para reduzir a pegada de carbono da empresa ao mesmo tempo em que ajuda a gerenciar os riscos, aumentar a eficiência e dar suporte ao crescimento da empresa.

Em função disso, foi firmada uma parceria com a DocuSign em 2014 com a finalidade de acelerar sua transição para este processo de transformação digital. Não à toa, a Microsoft recentemente viu seu valor de mercado atingir o maior nível em 17 anos – suas ações chegaram a US$ 600 bilhões, voltando ao nível do ‘boom’ da internet do início dos anos 2000 -, e a DocuSign tem uma fatia de influência neste surpreendente progresso.

Os métodos tradicionais de assinatura, onde os documentos devem ser redigidos, assinados, enviados, entregues e devolvidos em inúmeras vias, costumam desperdiçar uma quantidade considerável de tempo, dinheiro e, não menos importante, papel. Mas ao mesmo tempo, a necessidade de assinar documentos de forma rápida e segura é um componente crucial de qualquer processo de negócio.

Partindo do pressuposto de que o papel causa mais dor de cabeça do que a sua eliminação, a DocuSign e a Microsoft decidiram tratar especialmente do pacote Office 365 – um dos maiores “geradores” de papel em todos os escritórios ao redor do mundo. Esta integração da DocuSign com os produtos Microsoft, portanto, visa permitir que os clientes economizem tempo, reduzam os custos de dezenas de processos e aprimore a experiência dos usuários, sem que eles tenham de alterar seu sistema de comunicação atual nem fazer nenhuma configuração nova ou obrigatória.

Após um extenso plano de dinamização, hoje o Office 365 oferece funcionalidades simples e eficientes, contemplando as ferramentas que os usuários já possuem com o serviço da DocuSign. Os serviços do Word, Outlook, SharePoint, Dynamics CRM e até o sistema operacional do Windows Phone receberam aprimoramentos em seus sistemas com os serviços de assinaturas digitais, monitoramento de contratos e geração de templates de documentos.

Não é mais necessário sair da plataforma de trabalho para enviar, assinar e demandar assinaturas – agora tudo está reunido de forma prática em abas e botões dentro dos próprios softwares, agilizando desde a geração do documento em si até o acompanhamento das assinaturas por todos os envolvidos e permitindo que transações se realizem de forma mais rápida, automática e com confiança.

A parceria permitiu à Microsoft economizar milhões de dólares antes investidos em papel e trâmite de documentos, e o sucesso da relação rendeu à equipe DocuSign o prêmio de Desenvolvedor do ano para Microsoft Office e SharePoint em 2014 e de melhor app de produtividade em 2016.

Veja abaixo o vídeo  do presidente da Microsoft falando sobre a parceria com DocuSign:

Tags