Um dos maiores receios de quem usa a web constantemente é cair nas famosas fraudes na internet. Ano após ano, essas armadilhas se tornam mais complexas e capazes de atingir um número maior não só de pessoas, mas também de empresas. Sabia que, em alguns casos, os hackers usam técnicas até de engenharia social para conseguir ganhar a confiança do usuário? Com isso, obtêm acesso irrestrito a contas de e-mail, perfis em redes sociais e sistemas corporativos.

Para evitar que problemas como esse ocorram com você, a melhor estratégia é adotar uma abordagem preventiva, criando uma política de segurança de informações. Com isso, está criado também um ambiente de TI robusto e confiável para os usuários. Quer saber como isso pode ser feito? Acompanhe nosso post de hoje e aprenda a evitar fraudes de internet!

1. Configure o navegador para forçar conexões HTTPS

Grande parte dos ataques feitos em redes infectadas com malwares é baseada na captura de dados que circulam em conexões desprotegidas. Para reduzir as chances desse problema acontecer, uma solução simples é configurar os navegadores a usarem, sempre que possível, conexões HTTPS no acesso a sites e serviços web. Essa medida já reduzirá drasticamente as chances de terceiros capturarem os dados trocados durante o acesso a um site, ao mesmo tempo impedindo que páginas infectadas executem códigos maliciosos no dispositivo do usuário.

Quando uma página é acessada por meio de um protocolo de segurança, o navegador vai criptografar todos os pacotes enviados para o servidor — e vice-versa. Como apenas o usuário e o site possuem as chaves de criptografia, ainda que terceiros tenham acesso às informações, serão incapazes de efetivamente ler os registros. Além disso, a execução de malwares e scripts maliciosos também é limitada, aumentando a confiabilidade dos conteúdos exibidos na tela do computador, tablet ou celular.

A atenção às conexões seguras deve ser feita especialmente em páginas de login e sites que lidam com dados privados. Para verificar se o site está protegido por meio do protocolo HTTPS, basta verificar se a URL na barra de endereços do navegador começa com https:// em vez de http://. Em alguns browsers modernos, como o Google Chrome, um alerta também é exibido caso a página não esteja configurada para usar esse protocolo de segurança, reduzindo as chances de um site inseguro ser acessado sem querer e expor o usuário a fraudes na internet.

2. Evite navegar usando redes públicas

Redes de wi-fi públicas se tornaram bastante populares em cafés, aeroportos e outros ambientes com grande movimentação de pessoas. No entanto, tais conexões fornecem um grande risco ao usuário, uma vez que as informações de cada conexão estarão disponíveis para terceiros por meio de ataques do tipo man in the middle, onde um computador se disfarça de dispositivo de rede para capturar pacotes de dados ou manipular informações de uma página web.

Sempre que possível, portanto, opte por conexões móveis privadas para obter acesso a páginas e serviços web. Se for viável, use o smartphone para compartilhar a conexão 3G/4G com seu computador ou tablet pessoal. Dessa forma, as chances de alguma pessoa capturar ou manipular pacotes de dados são significativamente reduzidas.

3. Aposte na VPN em redes desconhecidas

Muitas vezes, uma conexão móvel de alta velocidade ou uma rede sem fio confiável simplesmente não está disponível. Isso pode acontecer em convenções empresariais, hotéis corporativos,viagens e quaisquer outros locais com um grande número de pessoas. Nesse cenário, caso opte por usar uma rede desconhecida, a melhor forma do usuário se proteger contra fraudes é adotando uma VPN, sigla para Virtual Private Network.

Essas redes virtuais privadas são ferramentas que criam uma conexão adicional no aparelho, encapsulando as informações enviadas e recebidas em um túnel que é protegido por algoritmos de criptografia de alto nível. Dessa forma, é possível proteger informações e impedir que páginas sejam manipuladas por meio de técnicas que adulteram os pacotes de dados enviados e recebidos pelo usuário.

4. Use softwares produzidos por empresas de confiança

O uso de softwares confiáveis é crucial para que tanto empresas como usuários domésticos tenham acesso a um ambiente digital protegido contra falhas de segurança que possam levar a fraudes. Especialmente no ambiente corporativo, esse cuidado é fundamental, uma vez que as companhias costumam estar entre os principais alvos de ataques virtuais. Sistemas de gestão, por exemplo, devem usar rotinas de armazenamento que deem alto controle ao usuário. Por outro lado, softwares que lidam com a assinatura eletrônica em contratos digitais devem contar com protocolos de segurança de alto nível, reduzindo as chances de informações serem manipuladas durante os processos de validação de dados.

Nesse cenário, a confiabilidade dos softwares adotados pela empresa terão um papel fundamental na definição das estratégias do negócio. Por isso, procure aqueles desenvolvidos por empresas de renome, com certificados de segurança reconhecidos pelas principais organizações do mercado e um suporte ao usuário eficaz. Além disso, as políticas de atualização devem garantir a eliminação de problemas com a maior agilidade possível, diminuindo o impacto de médio e longo prazos causado por vulnerabilidades.

5. Invista na nuvem para o compartilhamento de dados

A computação na nuvem trouxe um grande ganho para empresas em termos de mobilidade operacional e redução de custos com sistemas de armazenamento de dados. Além da capacidade de permitir o acesso a informações em vários dispositivos, contudo, os serviços de cloud storage ainda podem ser usados como uma estratégia de segurança, diminuindo os riscos durante processos de troca de arquivos e aumentando a privacidade e o controle de usuários sobre seus dados.

As empresas podem adotar uma estratégia focada no uso de ferramentas de cloud storage para a troca de informações entre profissionais e parceiros comerciais. Isso terá como resultado a redução do uso de anexos em e-mails e a ampliação da capacidade do negócio de enviar e receber arquivos com agilidade e segurança. Basta criar uma pasta compartilhada para cada parceiro comercial ou projeto, tornando a troca de arquivos mais simples e confiável.

Gostou do nosso post e quer receber mais novidades sobre tecnologia e segurança de dados? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro das principais tendências!

(Visited 295 times, 1 visits today)