Na vida pessoal e no universo corporativo, temos contatos com diversos tipos de corretores. Quem trabalha com imóveis, por exemplo, intermedeia negócios entre o locador e o locatário. Já um corretor da Bolsa de Valores mantém o foco na venda de ações para futuros acionistas. Por ser um sistema de mediação, o Cloud Broker atua de modo muito semelhante.

Traduzido para o português como “corretor de nuvem”, o Cloud Broker desempenha o papel de agente intermediário e facilita a negociação entre um cliente e uma empresa fornecedora de sistema na nuvem.

Quer saber mais? Confira o que é e como funcionam os Cloud Brokers, quais são as principais vantagens de investir nessa estratégia que está ganhando cada vez mais espaço no mercado. Boa leitura!

O que é Cloud Broker?

O Cloud Broker pode ser uma empresa ou mesmo uma pessoa física terceirizada que auxilia os sistemas de informação e agrega valor aos serviços de nuvem.

Na atualidade, manter documentos na nuvem têm sido essencial para ajudar as empresas a economizar bastante com o armazenamento, além de reduzir os riscos. Um exemplo clássico é a versatilidade dos serviços de assinatura eletrônica.

Mais do que isso, permite mais segurança na transmissão de dados, aumenta a mobilidade e melhora a agilidade das atividades corporativas que demandam acesso às ferramentas tecnológicas. E isso, de um modo bastante eficaz.

Também conhecida como CSB — do inglês Cloud Services Brokerage  a corretagem de serviços em nuvem é uma funcionalidade de suporte tecnológico, no qual uma instituição busca agregar valor a uma ou mais modalidades de serviços, quer seja na esfera pública ou privada.

O objetivo da implantação dessa estratégia é melhorar a experiência do usuário. O Cloud broker também pode orientar e aconselhar a empresa quanto à escolha dos melhores serviços para se adequar às necessidades dela.

Portanto, para atender a expectativa dos clientes, a corretagem assumirá a responsabilidade de avaliar três importantes critérios. Veja quais são!

Agregação

A meta principal é buscar, por meio de uma análise criteriosa, as melhores funcionalidades de cada serviço em nuvem. Além disso, objetiva oferecer um serviço integrado e de fácil combinação com todas as ferramentas utilizadas.

Como especialista na área, o Cloud Broker indicará as funcionalidades ideais que cada provedor oferece. Isso possibilita a empresa utilizar somente o necessário em cada projeto. Essa avaliação também inclui os custos. Assim, ele se torna em um agregador de serviços a preços compatíveis para a instituição.

Integração

Com o Cloud Broker, tanto os processos de produção como os de armazenamento de dados estarão mais integrados. Essa integração facilita o trabalho da gestão e torna as atividades de rotina bem mais dinâmicas e produtivas.

Desse modo, os serviços de armazenamento de dados, as ferramentas e os recursos utilizados são escolhidos a dedo pelo Cloud Broker. A meta é integrar, controlar o uso e monitorar o desempenho de todo o sistema por meio do painel de controle (Dashboard).

Corretagem personalizada

Para aumentar a qualidade nos serviços de nuvem e maximizar as vendas, o Cloud Broker promove meios de tornar o trabalho mais específico. A corretagem personalizada facilita atender o cliente de acordo com as metas mais importantes, e com foco em estratégias que sinalizem mais chances de desenvolvimento do negócio.

O que faz um Cloud Broker?

Como é um corretor para serviços na nuvem, o Cloud Broker ajuda a encontrar o produto ou serviço adequado para este ou aquele cliente. Naturalmente, ele leva em consideração os principais interesses do cliente, suas limitações financeiras e suas demandas.

Assim, um “broker” é uma empresa — ou mesmo uma pessoa física terceirizada que auxilia o cliente a encontrar aqueles serviços na nuvem que atendem suas demandas organizacionais.

Todavia, esse mediador considera tanto o valor dos serviços quanto a amplitude e a praticidade das soluções. Assim, a função de um Cloud Broker é economizar tempo e recursos de seus inúmeros clientes para que eles possam se dedicar somente a sua área de atuação.

O Cloud Broker atua como um intermediário imparcial, visto que não possui nenhum vínculo com um fornecedor em especial. Ele avalia o perfil da empresa e, por meio da experiência de projetos anteriores, ele procura o serviço de melhor qualidade para  atender a expectativa da empresa.

Além de poupar os gestores do trabalho e da grande preocupação que toda a mudança na infraestrutura de TI gera em um negócio, o “broker” auxiliará em todas as etapas desse processo. Inclusive, a transferência de dados do atual servidor para o novo servidor em nuvem também estará sob a responsabilidade dele.

Por meio da realização de estudos e análises dos diferentes provedores de serviços disponíveis na nuvem, o “broker” orientará e informará ao cliente quanto aos seguintes aspectos:

  • as possíveis formas de implementação;
  • o modo de usar e de aplicar essa estratégia;
  • como gerenciar os dados e obter os melhores benefícios;
  • as formas de utilizar o serviço para alcançar as metas empresariais mais importantes.

Qual a funcionalidade do Cloud Broker, na prática?

Como vimos, um Cloud Broker atua como um agente intermediário entre uma empresa provedora de serviços na nuvem e um cliente final. Ou seja, em vez de oferecer a infraestrutura necessária para o serviço, o Cloud Broker media a contratação dos provedores como também de todos os serviços que serão alocados na nuvem.

Vamos a um exemplo prático: suponha que a sua empresa esteja interessada em fazer uma migração da infraestrutura interna para a de nuvem. Nesse caso, ela pode contratar um serviço de Cloud Broker para ajudá-la.

Um “broker” vai avaliar a infraestrutura atual e verificar quais são os requisitos ideiais para fazer essa transição sem prejuízos funcionais ou financeiros. Desse modo, o agente vai identificar quais são os serviços mais adequados para suprir as demandas organizacionais da instituição.

Na sequência, ele também vai intermediar a contratação desses serviços, conforme as possibilidades orçamentárias e a amplitude das soluções oferecidas. Em muitos casos, há possibilidade de o Cloud Broker realizar também o gerenciamento e o monitoramento da infraestrutura contratada.

Esse ajuste fica a cargo da empresa e pode ser acordado previamente durante as negociações com o corretor. Essa alternativa é interessante, principalmente se a intermediação for com um provedor de nuvem que não efetue cobrança local no Brasil, por exemplo.

Sinteticamente, a corretagem para serviços na nuvem funciona, inicialmente, agilizando a contratação de uma empresa terceirizada ou de um profissional experiente em tecnologia da informação, soluções cloud e consultorias diversas.

Essa iniciativa tem por objetivo principal reduzir as barreiras na contratação de serviços em nuvem e alavancar as chances de aumentar a produtividade dos negócios.

Diante de tantos serviços semelhantes disponíveis na rede, fatores como a  insegurança, a falta de conhecimento específico e as dificuldades de gerenciamento para migração da infraestrutura justificam a opção por esses serviços.

Tendo isso em vista, a figura do corretor pode ser vista como a de um facilitador de nuvem auxiliando nas questões que envolvem todo o processo de migração. Ele atua ainda na implantação e no treinamento para a utilização das novas soluções, de modo que a empresa obtenha êxito nesse investimento.

Portanto, pode-se afirmar que o Cloud Broker desempenha suas funções de modo a ajudar a empresa de diversas maneiras. Ele atua como um corretor de serviços na nuvem e avalia o contexto da organização para definição das melhores ferramentas, além da escolha dos provedores mais adequados.

O que esperar do Cloud Broker?

No Brasil, esse tipo de prestação de serviço ainda é novidade, mas está em plena expansão e deve ganhar muitos adeptos em um futuro próximo. Isso porque a necessidade desse trabalho de mediação está se tornando uma tendência forte, tendo em vista as dificuldades que envolvem o segmento de TI.

Espera-se, então, que as vantagens oferecidas por essa estratégia provoquem mudanças no formato como as empresas operam. Isso é indispensável para otimizar processos de contratação dos serviços de nuvem e direcionar ações mais sólidas.

Na prática, isso resultará em uma produtividade bem mais elevada, com maior qualidade e ainda impulsionará a redução de custos. Esse processo sinaliza também a possibilidade de acelerar o ciclo de produção, acentuar a competitividade e promover a geração de renda recorrente.

O mercado de TI evolui de forma cada vez mais veloz, e o Cloud Broker já está contribuindo bastante para gerar mudanças positivas e impulsionar os negócios. O diferencial dessa estratégia é que ela é benéfica tanto para quem contrata, quanto para a empresa que disponibiliza os serviços de nuvem.

Sumariamente, a corretagem de serviços em nuvem é uma forma segura de simplificar a gestão de ambientes em nuvem. Antes, esses serviços eram vistos como de alta complexidade, tanto do ponto de vista operacional, como do tecnológico e administrativo.

Assim, as modificações resultantes da migração para soluções em nuvem realizada por diversos provedores já alteraram essa realidade de forma muito positiva. Um dos pontos mais relevantes é que há a contratação de um único fornecedor e, com isso, a instituição passa a ter somente uma única interface de negociação.

Quais são as vantagens do Cloud Broker?

Listamos os principais benefícios que o Cloud Broker pod proporcionar ao seu empreendimento. Confira!

Proteção jurídica

Um serviço de corretor de nuvem pode, também, assegura o cumprimento de seus direitos durante a negociação com os provedores da nuvem. Em caso de possíveis litígios, o “brocker” pode prover uma intervenção jurídica específica e conforme as normas técnicas da área da TI.

Diminuição de custos

Basicamente, o Cloud Broker objetiva encontrar as soluções mais vantajosas do mercado e que fomentem o crescimento e a sustentabilidade de seu negócio. Essa meta se baseia tanto em termos orçamentários quanto em referência ao desempenho das soluções.

Desse modo, ele pode agregar diferentes serviços de diversos provedores em uma única interface. Quando isso é feito de maneira orgânica, certamente proporcionará um custo-benefício bem melhor para a instituição.

Logo, a meta do Cloud Broker é garantir intermediar serviços com vistas à melhor escolha de infraestrutura tecnológica pelo menor valor final.

Vale destacar que quando essa decisão de migrar para a nuvem é tomada sem a devida análise, as chances de prejuízos financeiro e funcionais são imensas. Há um risco de contratar soluções inadequadas, comprometer o sucesso de toda a operação e gerar muita dor de cabeça.

Manutenção e segurança

Quando a empresa contrata um Cloud Broker que também fica responsável pela gestão dos serviços na nuvem, certamente o seu propósito é mais abrangente do que se contratasse apenas um fornecedor de soluções cloud.

Um contrato de nuvem gerenciada oferece diferentes vantagens, como os serviços de monitoramento, de gestão específica e também garante o tempo de resposta adequado para os pedidos de suporte.

Além disso, o Cloud Broker se responsabiliza também pela parte contratual das transações com os fornecedores de serviço. Ou seja, isso significa que as cláusulas do contrato serão obrigatoriamente cumpridas, mesmo quando a sede dos fornecedores ficar no exterior.

Foco no negócio

É bastante vantajoso trabalhar com a garantia de que o seu trâmite de migração para a nuvem está nas mãos de profissionais que tenham expertise no setor. Isso possibilita que suas equipes de TI fiquem livres para manter o foco no core business do seu negócio e potencializar melhores resultados.

Outro benefício substancial é reduzir custos com mão de obra, seminários, treinamentos e especializações para preparar os profissionais que executariam essa migração interna. Com a contratação desses serviços, essa será uma preocupação a menos para a gestão.

Adaptabilidade

Como visto, o “broker” não se limita apenas a encontrar os melhores preços para esses serviços. Na verdade, ele é um especialista em encontrar soluções que realmente se adaptem ao perfil da empresa.

O foco é buscar recursos que possam ser implementados para que o processo de transição seja o menos traumático possível, além de mais rápido, eficiente e barato.

Assessoria

Algumas empresas de corretagem Cloud Broker ainda oferecem mais facilidades para o cliente, já que ficam responsáveis também para realizar a própria implementação técnica da migração para a nuvem.

Entre os mais relevantes destacam-se a transferência de dados de um servidor físico para um alocado na rede e o treinamento necessário para que sua equipe internaconsiga desfrutar de todos os benefícios. Por isso, contar com esse suporte é tão importante.

A prioridade do “broker” é que o serviço intermediado por ele possibilite uma  contratação produtiva e que atenda a expectativa dos envolvidos. Desse modo, o corretor atua como um facilitador, o que o torna uma importante figura em toda a gestão do Cloud Computing da empresa.

Oferta de serviços diferenciados

Outro diferencial desse tipo de corretagem é a oferta de serviços que nem sempre estão incluídos nos pacotes  disponibilizados pelos provedores, mas que são indispensáveis para os clientes.

O Cloud Broker pode oferecer, por exemplo, um serviço adicional de segurança. Logo, se a empresa estiver receosa do vazamento de dados ou de informações confidenciais na nuvem, ele poderá prover a necessária segurança.

Diante do aumento de ataques cibernéticos que deixam os sistemas cada vez mais vulneráveis, contar com esse benefício para limitar esses riscos adquire considerável relevância.

Garantia de imparcialidade

Tanto as empresas como os profissionais que prestam serviços como Cloud Broker atuam com imparcialidade nas negociações. Como eles não têm vínculo com nenhum provedor, isso contribui para que a escolha seja feita a partir de critérios que favoreçam a contratante.

Por que o Cloud Broker está ganhando espaço no mercado?

Nas últimas décadas, os serviços em nuvem têm auxiliado empresas de diferentes segmentos a reduzir custos, otimizar processos e potencializar melhores resultados. Além disso, há uma gama de recursos tecnológicos com diferentes funcionalidades.

De acordo com projeções recentes, o crescimento nesse ramo está entre os mais promissores. E isso, em termos globais. Estima-se que os investimentos no mercado de cloud devem superar 411 bilhões de dólares até 2020.

Consequentemente, essa rápida expansão dos negócios em TI fez com o número de fornecedores desses serviços na nuvem também aumentassem significativamente. Porém, em meio a tantas opções disponíveis, escolher corretamente o melhor fornecedor para a empresa pode se tornar uma tarefa um tanto complexa.

Foi exatamente para reduzir os riscos nesse impasse que surgiram os Cloud Brokers. Eles fornecem todo o suporte nas negociações entre empresa e fornecedor a fim de que os impactos negativos que envolvem a migração para a nuvem sejam minimizados.

Mas será que existe uma razão estratégica para o crescimento do número de empresas que estão contratando os serviços dos Cloud Brokers? Veja alguns motivos que justificam essa tendência. Acompanhe!

Facilita a transição

Um Cloud Broker torna a transição da infraestrutura para a nuvem bem mais simplese fácil, já que ele realiza toda a intermediação e análise das soluções mais apropriadas e que tenham um custo-benefício melhor.

Assim, o corretor não só vai ajudar a empresa a escolher os melhores serviços de nuvem, como também oferecerá todo o suporte para a migração para uma infraestrutura coerente, integrada e segura.

Reduz riscos burocráticos e contratuais

Ao contratar uma empresa ou um profissional que atua como um Cloud Broker de um provedor de nuvem com sede no exterior, automaticamente, o “broker” passa a ser o responsável contratual por toda a prestação dos serviços.

Caso surja alguma eventual demanda judicial, isso assegura mais tranquilidade para a empresa e ainda reduz os riscos contratuais e burocráticos.

Oferece suporte adequado

Além disso, fazer a importação de determinados serviços é um processo bastante complexo, sobretudo para o setor contábil. Além do mais, essa contratação envolve o recolhimento de diversos impostos. Ao contratar um Cloud Broker, ele será o responsável pelo suporte adequado, inclusive pela declaração e recolhimentos de taxas e impostos.

Quais os principais cuidados ao contratar esses serviços?

Os investimentos em serviços de tecnologia pelas empresas brasileiras crescem proporcionalmente à maturidade e à evolução desse setor. As corporações  já entenderam o quanto investir em TI — sobretudo em soluções e em serviços digitais — é decisivo para impulsionar os negócios e ganhar credibilidade no mercado.

Entretanto, embora as projeções sejam positivas e animadoras, os empresários devem tomar alguns cuidados na hora de investir nesses serviços. Especialmente devido à concorrência muito acirrada, muitas empresas não entregam a qualidade esperada.

Além da atenção aos detalhes técnicos inerentes às soluções e serviços oferecidos pelos fornecedores da indústria de TI, procure verificar a efetividade do que elas oferecem.

Outra opção é render-se à efetividade do famoso Acordo de Nível de Serviço (SLAs), pois eles são fundamentais ao contratar serviços de tecnologia. Nesse acordo são documentadas todas as diretrizes, assim como os direitos e deveres das partes  envolvidas no negócio.

Checar a reputação dos fornecedores, utilizar um sistema de teste ou pedir indicação de outras empresas asseguram maior confiabilidade a esses processos.Nesse contexto, a adoção de ferramentas e de serviços tecnológicos deve ser analisada com base em critérios que não coloquem o seu empreendimento em risco.

Por que as empresas estão apostando nessa estratégia?

O mercado de computação em nuvem está cada vez mais competitivo. Dessa maneira, todos os dias há novas empresas que entram na disputa por uma fatia dele. Com isso, quem atua na gestão de TI ganha um gigantesco número de opções, o que aumenta a dificuldade na escolha de qual segmento trabalhar.

Como essa decisão exige diferenciais como certeza, segurança e conformidade, a situação torna-se ainda mais complicada. É exatamente nesse contexto que entra a figura do Cloud Broker.

À medida que a cloud computing alcança maiores dimensões, as tarefas de integração de novos serviços e de gestão das estruturas de nuvem ficam cada vez mais complexas. Isso torna esse trabalho cada vez mais difícil de sere executado sem ajuda de um profissional.

Essa realidade cada vez mais crescente torna o papel do Cloud Broker uma solução estratégica para empresas de pequeno, médio ou grande porte e áreas de atuação distintas.

O papel mais relevante desse tipo de corretagem é justamente auxiliar quem precisa inovar os sistemas e migrar para a infraestrutura de nuvem. Assim, esse agente ajuda a instituição a escolher os serviços mais adequados e personalizados conforme as metas mais importantes.

Um dos motivos da expansão dessa modalidade de suporte é que ele proporciona mais economia de tempo e de dinheiro. A empresa não precisa investir em pesquisas ou em consultoria para escolher um provedor de cloud.

Como vimos, apostar em estratégias e em inovações como o Cloud Broker sinaliza maiores chances de tornar seu empreendimento muito mais sólido, sustentável e mais competitivo.

Gostou deste artigo? Compartilhe-o nas redes sociais para que seus amigos também conheçam nossas dicas de tecnologia!